'Pode o senhor Obama ficar bisbilhotando Dilma?', diz Lula sobre espionagem

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-presidente volta a criticar suposta ação do governo americano e afirma que democracia deve ser levada a sério

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva voltou a fazer duras críticas às evidências de que os EUA espionaram a presidente Dilma Rousseff e a Petrobras e pediu que a questão da democracia seja levada à sério no mundo globalizado.

Congresso: CPI da Espionagem aprova convite a ministros, Petrobras e ANP

Alan Sampaio / iG Brasília
Presidente Lula participa de evento em Brasília (foto de arquivo)

Em nota: Suposta espionagem dos EUA tem motivação econômica, diz Dilma

"Pode o senhor Obama e seu sistema de inteligência ficar bisbilhotando as conversas da nossa presidenta? Cadê a decisão judicial que garante ouvir. Cadê a democracia?", indagou o ex-presidente durante seminário "Um Mundo sem Fome", em São Paulo.

Lula: Obama deve desculpas a Dilma por espionagem

Na semana passada, o programa Fantástico, da TV Globo, fez uma denúncia envolvendo a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, sigla em inglês). Com base em documentos fornecidos por Edward Snowden, ex-funcionário terceirizado da NSA, a reportagem afirmou que a agência americana espionou a presidente Dilma.

Semana passada: Presidente Dilma foi alvo de espionagem dos EUA, diz TV

Reunião com Rice: Chanceler viaja aos EUA para ouvir explicações

Denúncia: Após Dilma, Petrobras teria sido alvo de espionagem dos EUA

Neste domingo, houve uma nova denúncia, afirmando que a agência também teria monitorado a Petrobras, o que provocou uma pronta resposta da Presidência. Em nota, Dilma afirmou que as denúncias recentes mostravam que a suposta espionagem dos EUA possui interesses comerciais e estratégicos, e não de segurança nacional ou combate ao terrorismo.

Após denúncias: Obama diz que trabalhará com Dilma para aliviar tensões

Dilma: Obama prometeu resposta sobre espionagem ao Brasil

Lula pediu também a criação de um fórum global para discutir o assunto e frisou a necessidade de uma governança global para colocar o presidente Obama, a premiê alemã Angela Merkel e Dilma em condições de igualdade.

O ex-presidente criticou os EUA com relação ao fim dos estímulos monetários do Banco Central (FED), que tem sido motivo de apreensão nos mercados e de fortes oscilações do dólar nos últimos meses.

Brasil: Leia todas as notícias sobre a espionagem no País

"Até pouco tempo o ouro era a moeda internacional. Quem inventou que dólar é a moeda padrão foram os americanos, que têm a maquininha para fazer o dólar", frisou, antes de pedir a "criação de uma moeda mundial" para evitar problemas como esse.

Com Agência Estado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas