Aliado de Putin vence eleição de Moscou em meio a alegações de fraude

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Derrotado, opositor Alexei Navalny exige recontagem e afirma que não reconhece votação 'fraudada' à prefeitura

AP
Prefeito de Moscou Sergei Sobyanin é fotografado durante eleição à Prefeitura de Moscou na Rússia

O aliado de Vladimir Putin Sergei Sobyanin venceu a eleição para a Prefeitura de Moscou no domingo, de acordo com resultados divulgados pelas autoridades eleitorais após uma contagem quase completa dos votos.

O candidato da oposição Alexei Navalny, entretanto, afirmou que houve fraude nos resultados.

Opositor: Rússia condena líder de oposição Navalny a cinco anos de prisão

Perfil: Blogueiro vira símbolo do descontentamento na Rússia

Com a apuração de mais de 99% dos locais de votação, o prefeito interino Sobyanin recebeu quase 51,3% dos votos, de acordo com a comissão eleitoral municipal, superando os 50 por cento necessários para evitar um segundo turno.

Navalny, que ficou em segundo com 27,3%, afirmou que a apuração foi marcada por "muitas violações sérias". Ele exigiu que uma recontagem dos votos fosse realizada. "Não reconhecemos essas eleições", disse. "Sobyanin não pode se considerar prefeito de Moscou, ele não pode se considerar um prefeito eleito legalmente ao menos que concorde com nossas exigências e permita uma recontagem."

Em 2011: Observadores afirmam que eleição na Rússia teve irregularidades

Na Rússia: Tortura e assassinato reacendem discussão sobre homofobia

A eleição foi observada de perto por todo o mundo em meio a preocupações em relação ao processo democrático na Rússia. A votação ocorre pouco depois da condenação de Navalny por fraude, acusação que segundo o opositor foi movida politicamente.

Sobyanin, que foi indicado prefeito da capital em 2010, disse em comentários publicados em agências de notícias russas que Moscou "havia passado no teste por eleições livres e justas."

Repressão: Ativistas russos são detidos após reunião da oposição

Grupo: Rússia envia membros do Pussy Riot para campos de detenção

Enquanto seus partidários frustrados se reuniam para um protesto nesta segunda-feira, Navalny disse que não procurava colocar Moscou sob uma revolta. Porém, ele prometeu "participar em atos de desobediência civil" caso Sobyanin se recusasse a realizar a recontagem.

A corrida eleitoral pela prefeitura foi a primeira desde 2003 e teve seis candidatos. No ano passado, o Kremlin reverteu um decreto de 2004 aprovado por Putin que abolia eleições diretas para a Prefeitura de Moscou e de outras regiões.

Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: moscoueleição em moscounavalnykremlinputinsobyanin

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas