Jornalista chinês deixa prisão após oito anos por vazar segredos do Estado

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Shi Tao pegou foi condenado a 10 anos, mas foi libertado 15 meses antes. Yahoo! teria ajudado país a identificá-lo

Reuters

A China libertou de forma antecipada um proeminente dissidente e jornalista que havia sido detido em 2005 por vazar segredos de Estado para o exterior. Na época, o Yahoo! foi acusado de ajudar as autoridades a indentificá-lo. No sábado (7), o grupo pró-liberdade PEN International declarou que Shi Tao foi libertado 15 meses antes do fim da sua sentença. Shi foi condenado a dez anos de prisão.

AP
Jornalista Shi Tao, em 2005

Mais: Americana encontra pedido de ajuda de prisioneiro em objeto 'Made in China'

A empresa Yahoo!, à época dos fatos, chegou a defender-se da acusação de ajudar as autoridades dizendo que tinha que se submeter às leis locais. "Celebramos a noíticia da libertação antecipada de Shi Tao, num momento em que parece que há sombras cada vez maiores sobre a liberdade de expressão na China", disse num comunicado Marian Botsford Fraser, representante do grupo PEN.

"A prisão de Shi Tao, por conta das ações do Yahoo da China, sinalizou há uma década os desafios à liberdade de expressão, da vigilância na internet, com os quais estamos lidando agora". Um ativista chinês, em contato com Shi, confirmou que ele foi solto há uma semana. O ativista, que pediu para não ser identificado, afirmou que Shi não daria entrevistas neste momento.

China vai acabar com campos de trabalho forçado, dizem autoridades

Por imprensa livre: Chineses fazem raro protesto contra censura a jornal

Não ficou imediatamente claro porque ele havia sido solto antes de terminar a pena. Essas libertações podem ocorrer na China por causa do bom comportamento do preso. A condenação de Shi foi baseada num e-mail por ele enviado a um site de Nova York com detalhes de restrições à imprensa por conta do aniversário da repressão contra as manifestações pró-democracia de 1989 na China.

Leia tudo sobre: chinaprisãojornalistaespionagem

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas