Bomba atingiu comboio que levava Mohammed Ibrahim, responsável por coordenar as forças policiais do país

Reuters

O grupo baseado na península egípcia do Sinai, Ansar Bayt al-Maqdis, reivindicou, neste domingo, a responsabilidade pela tentativa fracassada de assassinar Mohamed Ibrahim , ministro do Interior do Egito, no Cairo, na última semana. Bomba atingiu comboio que levava Ibrahim, responsável por coordenar as forças policiais do país.

Leia mais: Exército egípcio ataca militantes no Sinai

A militância islamista aumentou fortemente na região adjunta de Israel e Faixa de Gaza desde que o presidente Mohamed Mursi foi deposto, há dois meses.

O ataque da última quinta-feira foi o mais impressionante até o momento, em que um homem que dirigia o carro-bomba explodiu a si mesmo perto do comboio do ministro, enquanto saia de casa para o trabalho.

Segurança: Ministro do Interior egípcio sobrevive a atentado no Cairo

Primavera Árabe: Golpe no Egito expõe desafio de islâmicos de ficar no poder

No ano passado, o mesmo grupo reivindicou a responsabilidade palos foguetes lançados a Israel pelo Sinai.

Equipe de segurança egípcia se reúne no local de ataque à bomba que visava ao ministro do Interior do país em Nasr City, Cairo
AP
Equipe de segurança egípcia se reúne no local de ataque à bomba que visava ao ministro do Interior do país em Nasr City, Cairo


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.