Grupo assume responsabilidade por atentado a ministro do Egito no Cairo

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Bomba atingiu comboio que levava Mohammed Ibrahim, responsável por coordenar as forças policiais do país

Reuters

O grupo baseado na península egípcia do Sinai, Ansar Bayt al-Maqdis, reivindicou, neste domingo, a responsabilidade pela tentativa fracassada de assassinar Mohamed Ibrahim, ministro do Interior do Egito, no Cairo, na última semana. Bomba atingiu comboio que levava Ibrahim, responsável por coordenar as forças policiais do país.

Leia mais: Exército egípcio ataca militantes no Sinai

A militância islamista aumentou fortemente na região adjunta de Israel e Faixa de Gaza desde que o presidente Mohamed Mursi foi deposto, há dois meses.

O ataque da última quinta-feira foi o mais impressionante até o momento, em que um homem que dirigia o carro-bomba explodiu a si mesmo perto do comboio do ministro, enquanto saia de casa para o trabalho.

Segurança: Ministro do Interior egípcio sobrevive a atentado no Cairo

Primavera Árabe: Golpe no Egito expõe desafio de islâmicos de ficar no poder

No ano passado, o mesmo grupo reivindicou a responsabilidade palos foguetes lançados a Israel pelo Sinai.

AP
Equipe de segurança egípcia se reúne no local de ataque à bomba que visava ao ministro do Interior do país em Nasr City, Cairo


Leia tudo sobre: egitomundo árabeprimavera árabe

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas