Segundo autoridades, leituras de radiação subiram mais de 20%, aumentando preocupações com esforços de limpeza

A avariada usina nuclear de Fukushima Daiichi possui vazamentos de radiação em níveis fortes o suficiente para matar uma pessoa em questão de horas, informaram autoridades japonesas, enquanto o governo prepara medidas para tentar impedir que a água contaminada entre em contato com o mar e o solo.

Fukushima: Japão promete financiar 'muro de gelo' para deter vazamentos

Foto aérea mostra a usina nuclear de Fukushima Daiichi em Okuma, norte do Japão (31/8)
AP
Foto aérea mostra a usina nuclear de Fukushima Daiichi em Okuma, norte do Japão (31/8)

Usina nuclear:  Níveis de radiação são '18 vezes maiores' do que o previsto

Leituras de radiação em torno dos tanques de armazenamento de água radioativa na usina subiram mais de 20% e atingiram níveis elevados, acrescentou a agência japonesa, aumentando as preocupações sobre o esforço de limpeza após o pior desastre atômico do mundo em quase três décadas.

Pontos críticos de radiação se disseminaram por três áreas onde ficam centenas de tanques construídos às pressas para armazenar a água, que ficou contaminada após ser utilizada para resfriar três reatores danificados da usina em decorrência de um terremoto seguido de tsunami em março de 2011.

Dia 21: Agência propõe elevar nível de gravidade do vazamento de Fukushima

O aumento dos níveis de radiação e dos vazamentos na usina tem elevado o alerta internacional sobre Fukushima, e o governo japonês anunciou na terça-feira (3) que vai empregar quase US$ 500 milhões para conter a grande quantidade de água contaminada na usina.

Leituras na superfície do solo ao redor de um grupo de tanques na usina mostraram níveis de radiação tão altos quanto 2.200 milisieverts (mSv), disse a Autoridade de Regulação Nuclear do Japão (ARN).

Japão: Água radioativa de Fukushima cria situação de 'emergência'

NYT: Contratempos evidenciam fragilidade de usina nuclear Fukushima

O nível é suficiente para matar uma pessoa sem proteção em questão de horas. A ARN disse ter descoberto recentemente que os pontos críticos são bastante concentrados e podem ser isolados facilmente.

Os tanques ficam em uma colina acima do oceano Pacífico na usina de Fukushima, devastada por um terremoto de grande magnitude seguido por um tsunami em março de 2011, na pior crise nuclear do mundo desde Chernobyl há 25 anos.

Comissão do Japão: Erros humanos causaram crise nuclear de Fukushima

A empresa operadora da usina, a Tokyo Electric Power Co, conhecida como Tepco, disse no mês passado que a água de um dos tanques estava vazando. Outro pequeno vazamento foi encontrado depois, e o crescente número de áreas com concentração de radiação aumenta a preocupação sobre futuros vazamentos.

No mês passado, a ARN propôs aumentar a severidade do vazamento inicial do nível 1 (anomalia) para nível 3 (incidente sério), em uma escala internacional que vai de 1 a 7 para vazamentos de radiação.

Com Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.