Ministro caracteriza denúncia de espionagem como 'situação de emergência'

Por Reuters | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Com outros ministros, Gilberto Carvalho é convocado para reunião após informação de que Dilma foi espionada

Reuters

A presidente Dilma Rousseff convocou reunião ministerial de emergência nesta segunda-feira no Palácio do Planalto, após denúncias de monitoramento de telefonemas, emails e mensagens de celular da presidente por parte de uma agência de espionagem americana.

TV: Presidente Dilma foi alvo de espionagem dos EUA

Alan Sampaio / iG Brasília
Dilma Rousseff teria sido alvo de espionagem pelo programa de monitoramento dos EUA

Leia: Embaixador dos EUA se reúne com chanceler após denúncia de espionagem

O ministro Gilberto Carvalho disse mais cedo, em evento sobre resultados do Plano Plurianual, que havia sido convocado para uma reunião com a presidente e que as denúncias resultam em uma "situação de emergência".

Dilma realizou duas reuniões nesta manhã, segundo uma fonte do Planalto. Participaram do primeiro encontro os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) e o general José Elito, chefe do Gabinete de Segurança Institucional.

Brasil: Leia todas as notícias sobre a espionagem no Brasil

Depois, a presidente conversou com os ministros das Comunicações, Paulo Bernardo, da Defesa, Celso Amorim, e com o chanceler Luiz Alberto Figueiredo. Cardozo também participou dessa reunião.

Segundo denúncias feitas no domingo pelo programa "Fantástico", da TV Globo, a presidente teria sido alvo de espionagem por parte da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês). As revelações foram feitas com base em documentos fornecidos pelo ex-prestador de serviço da NSA Edward Snowden ao jornalista americano Glenn Greenwald, que vive no Rio de Janeiro.

Denúncias pelo vazamento de Snowden:
WPost: EUA lançaram 231 ciberataques em 2011

WSJ: Monitoramento dos EUA abrange 75% do tráfego de internet americano
Bild: Espionagem alemã usou dados de monitoramento dos EUA
Monitoramento: EUA mantêm ampla base de dados telefônicos
Prism: EUA coletam dados de nove empresas de internet
Jornal: EUA podem usar dados de inteligência sem mandado
Anfitrião: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009
Guerra cibernética: EUA espionam computadores da China
Diplomatas: Europa exige respostas sobre supostos grampos dos EUA
XKeyscore: Ferramenta permite monitoramento em tempo real
WPost: Agência dos EUA quebrou regras de privacidade milhares de vezes

Mais cedo, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, foi convocado ao Itamaraty para prestar esclarecimentos sobre as denúncias de monitoramento.

Dilma tem uma visita de Estado a Washington, agendada para outubro, na qual se reunirá com o presidente dos EUA, Barack Obama. A viagem tem como objetivo reforçar como as relações entre Brasil-EUA melhoraram desde que Dilma tomou posse, em 2011.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas