Saiba os principais fatos na luta pelos direitos civis nos EUA

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Discurso de Martin Luther King Jr., que completa 50 anos, pertenceu a contexto de mobilização pela igualdade racial

O famoso discurso "Eu tenho um sonho" de Martin Luther King Jr., que completa 50 anos nesta quarta-feira (28), esteve inserido em um contexto de protestos e de luta pelos direitos civis nos EUA.

50 anos: Discurso de Luther King reflete sonho universal por sociedade justa

Assista: Vídeo mostra discurso 'Eu tenho um sonho', de Luther King

Apesar de em 1954 a Suprema Corte do país ter declarado inconstitucional a segregação em instituições de ensino, a separação entre negros e brancos era intensamente praticada em diversos espaços públicos, principalmente nos Estados americanos do sul. A situação de desigualdade racial provocou milhares de atos de desobediência civil e de manifestações que foram reprimidos, na maior parte das vezes, com violência.

Homenagem: Martin Luther King ganha monumento em Washington

AP
Reverendo Martin Luther King Jr profere discurso "Eu tenho um sonho" durante a Marcha sobre Washington por Empregos e Liberdade (28/8/1963)

2011: Obama evoca Martin Luther King para superar batalhas políticas

Relembre os principais fatos na luta pelos direitos civis nos EUA:

26 de julho de 1948: Presidente Harry Truman (1945-1953) assina a Ordem Executiva 9.981, que define igualdade de tratamento e oportunidade para todos nas Forças Armadas, independentemente de raça, cor, religião ou nacionalidade.

17 de maio de 1954: Suprema Corte decide por unanimidade que a segregação nas escolas públicas é inconstitucional. A decisão reverte um entendimento anterior de 1896, que sancionou a segregação racial nas instituições de ensino sob a doutrina do "separados, mas iguais".

1º de dezembro de 1955: A integrante da Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP, sigla em inglês) Rosa Parks se recusa a dar seu assento em um ônibus em Montgomery, Alabama, para um passageiro branco, desafiando o costume dos Estados do sul em que negros cediam seus lugares quando a seção para brancos estava lotada. Sua prisão provocou um boicote no uso de ônibus pela comunidade negra que durou mais de um ano.

10 de janeiro de 1957: Martin Luther King Jr., Charles Steele, Fred Shuttlesworth formam a Conferência da Liderança Cristã do Sul, uma das maiores frentes no movimento pelos direitos civis, baseando suas práticas na desobediência civil.

1º de fevereiro de 1960: Quatro estudantes negros da Faculdade de Agricultura da Carolina do Norte dão início a um protesto no balcão de uma lanchonete na cidade de Greensboro, reservado para brancos, depois de ter seu pedido recusado. O evento provocou uma série de protestos similares por vários Estados do sul.

1º de outubro de 1962: Estudante negro James Meredith tenta se matricular na segregada Universidade do Mississippi, mas é impedido. O presidente John F. Kennedy (1961-1963) envia 5 mil membros da Guarda Nacional para garantir sua inscrição.

Entrevista: Jackie Kennedy não gostava de De Gaulle, Indira Gandhi e Luther King

16 de abril de 1963: Martin Luther King Jr. é preso durante protestos antissegregação em Birmingham, Alabama.

3 de maio de 1963: Durante protestos pelos direitos civis em Birmingham, o comissário de segurança pública Eugene Connor autoriza o uso de jatos de água e cães da polícia contra manifestantes negros.

AP
Defensores dos direitos civis se reúnem no Monumento de Washington antes de marchar em direção ao Lincoln Memorial, cenário de discurso de Martin Luther King (28/8/1963)

28 de agosto de 1963: Durante Marcha em Washington, que reuniu milhares, Martin Luther King Jr. profere seu famoso discurso "Eu tenho um sonho".

15 de setembro de 1963: Quatro negras são mortas em ataque à bomba na Igreja Batista Sixteenth Street, local popular de encontros de ativistas pelos
direitos civis.

2 de julho de 1964: Presidente Lyndon Johnson (1963-1969) assina a Lei dos Direitos Civis de 1964, proibindo discriminação por raça, cor, religião ou nacionalidade.

21 de fevereiro de 1965: Ex-líder da Nação do Islã Malcolm X, 39 anos, é morto a tiros por muçulmanos ligados ao grupo enquanto se preparava para discursar na sede da sua Organização da Unidade Afroamericana no Harlem.

10 de agosto de 1965: Congresso aprova a Lei de Direito ao Voto de 1965, facilitando o registro dos negros do sul como eleitores. Testes de alfabetização, restrições ligadas a impostos e outros requerimentos usados para impedir negros de votar se tornam ilegais.

24 de setembro de 1965: Presidente Lyndon Johnson (1963-1969) assina Ordem Executiva 11.246, estabelecendo ações afirmativas e destinando recursos para empreiteiras e instituições de ensino a fim de desenvolver programas de inclusão.

Outubro de 1966: O grupo Panteras Negras é fundado por Huey Newton e Bobby Seale.

12 de junho de 1967: Suprema Corte decide que a proibição ao casamento interracial, válido em 16 Estados, é inconstitucional.

4 de abril de 1968: Martin Luther King Jr., 39 anos, é morto a tiros na varanda do seu quarto de hotel em Memphis, Tennessee. James Earl Ray é preso e condenado pelo crime.

Policial tira impressões digirais de Rosa Parks, que se recusou a ceder lugar no ônibus para passageiro branco em Montgomery, Alabama (22/2/1956). Foto: APMartin Luther King Jr. faz discurso durante encontro na Igreja Batista Holt Street para organizar boicote a ônibus em Montgomery, Alabama (22/3/1956). Foto: APAmericanos negros sentam-se em assentos reservados para brancos em lanchonete Woolworth, em Atlanta, durante protesto (20/10/1960). Foto: APAtivista pelos direitos civis James Meredith é escoltado por guardas a caminho de suas aulas na Universidade do Mississippi, em Oxford (2/10/1962). Foto: APManifestante pelos direitos civis de 17 anos é atacado por cães da polícia durante protesto em Birmingham, Alabama (3/5/1963). Foto: APMalcom-X segura primeira página de jornal diante de multidão durante marcha em Nova York (6/8/1963). Foto: APMultidão comparece à Marcha em Washington por Empregos e Liberdade, na capital Washington (28/8/1963). Foto: APCratera é formada depois de um ataque à bomba perto do porão da Igreja Batista Sixteenth Street em Birmingham, Alabama, que matou quatro garotas negras (15/9/1963). Foto: APPresidente Lyndon Johnson assina a Lei de Direitos Civis na Ala Leste da Casa Branca, Washington (2/7/1964). Foto: APManifestantes seguram placas com símbolo dos Panteras Negras durante protesto no Mississippi (26/6/1966). Foto: AP

Abril: Campanha por não violência marca 45 anos da morte de Luther King

11 de abril de 1968: Presidente Lyndon Johnson (1963-1969) assina a Lei de Direitos Civis de 1968, proibindo discriminação em negociações
imobiliárias.

22 de novembro de 1991: Presidente George H. W. Bush (1989-1993) assina a Lei de Direitos Civis de 1991, tornando mais rígidas as leis já existentes e aplicando penas em casos de discriminação no ambiente de trabalho.

25 de junho de 2013: Suprema Corte derruba seção da Lei de Direito ao Voto que assegurava o voto igualitário aos cidadãos, alegando que a regra não é mais constitucional. O presidente Barack Obama declarou-se "profundamente desapontado" com a decisão da corte.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas