Dilma retira indicação de ex-embaixador da Bolívia para a Suécia

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Embaixada que ele chefiava foi o foco de uma crise que resultou na demissão do ministro das Relações Exteriores

Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff encaminhou mensagem à Comissão de Relações Exteriores do Senado pedindo a retirada da indicação de Marcel Biato para a Embaixada do Brasil na Suécia, cumulativa com a da Finlândia. Biato chefiou a embaixada brasileira na Bolívia até junho deste ano, quando saiu e deu lugar à atuação interina de Eduardo Saboia.

'DOI-Codi e embaixada são tão distantes quanto céu e inferno', diz Dilma

Nota: Defesa só soube de senador boliviano quando ele ingressou no Brasil

Inquérito: Auditor fiscal presidirá sindicância sobre vinda de senador

A mensagem presidencial com o pedido de retirada da indicação é curta e não esclarece os motivos. A comissão recebeu a mensagem em que a presidenta propôs o nome de Biato para o posto em Estocolmo há cerca de 15 dias.

Rocha Lobo/Futura Press
Mensagem presidencial com o pedido de retirada da indicação é curta e não esclarece os motivos

A embaixada brasileira em La Paz foi o foco de uma crise que resultou ontem (26) na demissão do ministro das Relações Exteriores Antonio Patriota. O impasse surgiu no último fim de semana depois que Eduardo Saboia ajudou o senador oposicionista boliviano Roger Pinto Molina a deixar o país às escondidas e sem o conhecimento do Itamaraty. Molina estava asilado na representação brasileira há cerca de 15 meses, sob alegação de ser perseguido politicamente pelo governo de Evo Morales. Condenado na Bolívia por corrupção, o senador não recebeu salvo-conduto para deixar o país.

Brasil: Governo avalia opções sobre destino do senador boliviano

Segunda: Chanceler deixa o governo após fuga de boliviano

Em visita ao Congresso Nacional hoje (27), a presidenta Dilma Rousseff criticou a iniciativa de Saboia e negou que Pinto Molina estivesse em situação precária na embaixada brasileira. A presidenta também cobrou explicações do ministro da Defesa, Celso Amorim, sobre a participação de fuzileiros navais na operação de retirada do senador boliviano de La Paz.

Leia tudo sobre: roger pintoroger pinto molinadilmabrasilBolíviaItamaratySaboia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas