Fotojornalista indiana é vítima de estupro coletivo em Mumbai

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Mulher de 22 anos fazia reportagem quando foi violentada e está internada; colega que a acompanhava foi espancado

Uma fotojornalista de 22 anos foi vítima de um estupro coletivo na noite de quinta-feira (22) em Mumbai, na Índia, informaram policiais indianos nesta sexta-feira. Um suspeito do crime foi preso.

Polícia: Turista dos EUA é vítima de estupro coletivo no norte da Índia

AP
Ativistas indianas seguram cartazes durante protesto contra estupro coletivo de uma fotojornalista em Mumbai

Após abusos: Índia aprova lei mais rígida para abusos contra mulheres

A mulher, que fazia uma reportagem no bairro de Lower Parel quando foi atacada por cinco homens, está no hospital com vários ferimentos. Ela estava acompanhada por um colega que foi espancado pelos agressores. 

Em um caso semelhante, em dezembro do ano passado, uma estudante de 23 anos foi estuprada em um ônibus na capital Nova Délhi. A mulher e seu amigo foram brutalmente agredidos, e ela morreu no hospital por causa dos ferimentos. O ataque, que provocou protestos em todo o país, forçou as autoridades a introduzir leis mais duras para crimes contra as mulheres.

Índia: Turista salta de sacada para escapar de 'avanços' de dono de hotel

Sob pressão: Índia diz ter prendido cinco após estupro de turista suíça

'Repreensível'

A vítima do ataque de quinta-feira trabalhava como estagiária em uma revista inglesa baseada em Mumbai e tinha ido à Shakti Mills - uma antiga fábrica têxtil em ruínas - para uma sessão de fotos, disse a polícia.

Outro crime: Turista suíça é vítima de estupro coletivo na Índia

Violência: Acusado por estupro coletivo que chocou Índia é encontrado morto

O comissário de polícia de Mumbai, Satyapal Singh, disse que o incidente ocorreu entre "18h e 18:30h na quinta-feira", e o descreveu como "repreensível". "O homem (colega da vítima) estava tirando fotos com uma câmera enquanto a mulher tirava fotos com seu telefone celular, quando um agressor os abordou e perguntou por que estavam ali na propriedade ferroviária", disse Singh.

"Em seguida, ele chamou mais quatro homens para o local. Eles amarraram as mãos do homem com um cinto e levaram a mulher para o mato e a estupraram."

Negligência: Para vítimas de estupro na Índia, polícia também é parte do problema

Singh disse que cerca de 20 equipes foram formadas para investigar o caso e que todos os agressores foram identificados. Mais cedo, a polícia disse que 35 pessoas foram detidas e estavam sendo interrogadas. Retratos falados dos cinco acusados também foram divulgados.

"A paciente está conosco desde o infeliz incidente. Até agora a situação dela é estável", disse em um comunicado na sexta-feira de manhã um porta-voz do Hospital Jaslok, onde a vítima está internada.

Polícia de Mumbai
Retratos-falados dos cinco suspeitos foram divulgados pela polícia de Mumbai

Indignação

O ataque provocou indignação na Índia, com muitos expressando sua raiva nas mídias sociais. A segurança das mulheres tem sido o foco das atenções desde o fatal estupro em Nova Délhi.

Contra estupros: Partido hindu distribui facas e pimenta para mulheres na Índia

Justiça: Acusados de estuprar e matar jovem na Índia são indiciados

Após estupro coletivo: Mulheres esperam mudança social na Índia

Seis pessoas, incluindo um menor, foram presos pelo crime. Em março, um dos homens foi encontrado morto em sua cela na prisão. Os outros cinco estão em julgamento, e os vereditos são esperados nas próximas semanas.

Com BBC

Leia tudo sobre: índiamumbaiestupro coletivofotojornalista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas