Países, porém, podem assinar em outubro acordo para livrar da imigração brasileiros que viajam a trabalho

Em visita a Brasília, o secretário de Estado John Kerry afirmou nesta terça-feira que os EUA têm interesse em facilitar a entrada de brasileiros em território americano, mas indicou que a isenção do visto ainda levará mais tempo, afirmando esperar que "vamos chegar um dia" a esse estágio.

Dia 2: EUA facilitam concessão de visto americano a casais gays

Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, dá coletiva ao lado do chanceler brasileiro, Antonio Patriota
Alan Sampaio
Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, dá coletiva ao lado do chanceler brasileiro, Antonio Patriota

Patriota:  Brasil e EUA devem remover 'barreiras' antes de isentar visto

"Queremos que mais brasileiros viajem aos EUA. É de nosso próprio interesse facilitar esse processo", afirmou em coletiva ao lado do chanceler brasileiro, Antonio Patriota. "Queremos continuar consultas muito próximas com o Brasil (para uma eventual isenção do visto), porque há certas exigências jurídicas a cumprir, mas é possível chegar lá."

Um dos meios de facilitar a entrada de brasileiros em território americano seria o Programa Global Entry , com chances de que seja assinado em 23 de outubro, durante visita da presidente Dilma Rousseff a Washington.

2012: EUA anunciam projeto para facilitar passagem pela 'imigração'

Março:  Brasil fecha acordo para facilitar entrada de empresários brasileiros

Segundo Patriota, as discussões entre Brasil e EUA sobre o programa têm apresentado resultados satisfatórios. "Uma declaração poderá ser acordada em breve, no mês de setembro, e prepararia o texto a ser divulgado durante visita presidencial. Consideramos que os progressos têm sido satisfatórios e poderemos ter algum resultado noticiado", afirmou.

A ideia do programa é permitir a entrada de brasileiros nos EUA sem passar pelas filas de imigração. Mas a medida não deve beneficiar turistas eventuais, apenas os brasileiros que visitam os EUA com mais assiduidade, na maioria das vezes em viagens a trabalho.

Leia também: EUA já emitem mais vistos a brasileiros que a chineses

“Estamos empenhados em apressar ao máximo esse acordo e nos orgulhamos muito em ter dinamizado no último ano a concessão de vistos a brasileiros para viagens de negócios e turismo. No ano passado, recebemos 1 milhão de pedidos de concessão vistos vindos de toda parte do Brasil”, ressaltou Kerry.

Para Kerry e Patriota, é possível no futuro o fim da exigência de vistos, porém, ambos concordam que o processo deve demorar. "A questão da eliminação do requerimento do visto é outra questão, mais complexa, que exigirá mais tempo para ser debatida", afirmou Patriota.

Kerry no Brasil:
'Esperamos que Brasil entenda e aceite', diz Kerry sobre espionagem dos EUA
Kerry visita Brasil em meio a temor de manifestações

As regras do Global Entry são as mesmas para todos os 11 países que participam do programa, como Alemanha, Japão e Reino Unido. Se aprovada a concessão para receber o Global Entry, o brasileiro que for aos EUA recebe um cartão com código de barras. Assim, a pessoa não precisa entrar na fila de imigração. A validade do cartão é de cinco anos.

*Com Agência Brasil e Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.