Medida é tomada após EUA receberem ameaça contra complexo diplomático na cidade; país tem dia violento

Os EUA alertaram os americanos para não viajar ao Paquistão e retiraram a maior parte dos funcionários de Lahore, por causa de uma ameaça contra um consulado na cidade, informou uma autoridade americana nesta sexta-feira (9).

No Paquistão: Atentado suicida em funeral de policial deixa 30 mortos 

Menino paquistanês carrega criança ferida  para hospital em Quetta, Paquistão
AP
Menino paquistanês carrega criança ferida para hospital em Quetta, Paquistão

30 de julho: Taleban ataca prisão no Paquistão e liberta mais de 200 detentos

A decisão ocorre em meio a uma série de ataques de militantes no Paquistão. Também segue uma ameaça da Al-Qaeda contra postos diplomáticos dos EUA no Oriente Médio e no norte da África que autoridades americanas afirmam não estar relacionada com a situação no Paquistão.

Os EUA estão retirando funcionários não essenciais de Lahore para a capital, Islamabad, após uma ameaça específica em relação ao consulado no local, disse a porta-voz da Embaixada dos EUA Meghan Gregonis. Equipes de emergência permanecerão em Lahore, e as autoridades da embaixada não sabem informar quando o consulado será reaberto.

Após ameaça: EUA e Reino Unido retiram funcionários do Iêmen

EUA:  Mensagens de líder da Al-Qaeda e franquia no Iêmen seria causa de alerta

"Recebemos informação sobre uma ameaça ao consulado", disse Gregonis, acrescentando que a retirada do pessoal foi decidida como uma "medida de precaução".

Ela não forneceu quaisquer detalhes sobre a natureza da ameaça ou sobre o esvaziamento dos funcionários dos EUA. O consulado em Lahore já estava programado para permanecer fechado durante o feriado do Eid al-Fitr de quinta a domingo.

Domingo: EUA fecham 22 missões diplomáticas por 'grave' ameaça terrorista

Sexta: EUA emitem alerta de viagem global por ameaça da Al-Qaeda

O Taleban paquistanês lançou um ataque com carro-bomba e granada contra o consulado americano na cidade paquistanesa de Peshawar em 2010, deixando quatro paquistaneses mortos. O consulado na cidade de Karachi, ao sul do país, também foi alvo de ataques inúmeras vezes.

A retirada dos funcionários do consulado de Lahore foi uma medida de precaução e não estava relacionada com os recentes fechamentos de missões diplomáticas americanas no mundo muçulmano por causa de uma ameaça da Al-Qaeda, disseram duas autoridades dos EUA em condição de anonimato.

Até sábado: EUA mantêm fechadas missões diplomáticas em 19 cidades

Leia também: Saiba mais sobre a Al-Qaeda da Península Arábica

Nenhum dos consulados no Paquistão nem a Embaixada dos EUA em Islamabad foram afetados pelos fechamentos de missões anteriores.

Na quinta, o Departamento de Estado alertou os cidadãos americanos a não viajar para o Paquistão, dizendo que a presença de vários grupos terroristas estrangeiros representava um potencial perigo.

Nesta sexta, homens armados deixaram seis mortos e 15 feridos em um ataque contra um ex-parlamentar do lado de fora de uma mesquita em Quetta, capital da província do Baluquistão. O ex-parlamentar escapou sem ferimentos, e até o momento nenhum grupo reivindicou responsabilidade pelo ataque. Um dia antes, um homem-bomba atacou um funeral de um policial também em Quetta deixando 30 mortos.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.