EUA retiram diplomatas de consulado em Lahore, no Paquistão

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Medida é tomada após EUA receberem ameaça contra complexo diplomático na cidade; país tem dia violento

Os EUA alertaram os americanos para não viajar ao Paquistão e retiraram a maior parte dos funcionários de Lahore, por causa de uma ameaça contra um consulado na cidade, informou uma autoridade americana nesta sexta-feira (9).

No Paquistão: Atentado suicida em funeral de policial deixa 30 mortos 

AP
Menino paquistanês carrega criança ferida para hospital em Quetta, Paquistão

30 de julho: Taleban ataca prisão no Paquistão e liberta mais de 200 detentos

A decisão ocorre em meio a uma série de ataques de militantes no Paquistão. Também segue uma ameaça da Al-Qaeda contra postos diplomáticos dos EUA no Oriente Médio e no norte da África que autoridades americanas afirmam não estar relacionada com a situação no Paquistão.

Os EUA estão retirando funcionários não essenciais de Lahore para a capital, Islamabad, após uma ameaça específica em relação ao consulado no local, disse a porta-voz da Embaixada dos EUA Meghan Gregonis. Equipes de emergência permanecerão em Lahore, e as autoridades da embaixada não sabem informar quando o consulado será reaberto.

Após ameaça: EUA e Reino Unido retiram funcionários do Iêmen

EUA: Mensagens de líder da Al-Qaeda e franquia no Iêmen seria causa de alerta

"Recebemos informação sobre uma ameaça ao consulado", disse Gregonis, acrescentando que a retirada do pessoal foi decidida como uma "medida de precaução".

Ela não forneceu quaisquer detalhes sobre a natureza da ameaça ou sobre o esvaziamento dos funcionários dos EUA. O consulado em Lahore já estava programado para permanecer fechado durante o feriado do Eid al-Fitr de quinta a domingo.

Domingo: EUA fecham 22 missões diplomáticas por 'grave' ameaça terrorista

Sexta: EUA emitem alerta de viagem global por ameaça da Al-Qaeda

O Taleban paquistanês lançou um ataque com carro-bomba e granada contra o consulado americano na cidade paquistanesa de Peshawar em 2010, deixando quatro paquistaneses mortos. O consulado na cidade de Karachi, ao sul do país, também foi alvo de ataques inúmeras vezes.

A retirada dos funcionários do consulado de Lahore foi uma medida de precaução e não estava relacionada com os recentes fechamentos de missões diplomáticas americanas no mundo muçulmano por causa de uma ameaça da Al-Qaeda, disseram duas autoridades dos EUA em condição de anonimato.

Até sábado: EUA mantêm fechadas missões diplomáticas em 19 cidades

Leia também: Saiba mais sobre a Al-Qaeda da Península Arábica

Nenhum dos consulados no Paquistão nem a Embaixada dos EUA em Islamabad foram afetados pelos fechamentos de missões anteriores.

Na quinta, o Departamento de Estado alertou os cidadãos americanos a não viajar para o Paquistão, dizendo que a presença de vários grupos terroristas estrangeiros representava um potencial perigo.

Nesta sexta, homens armados deixaram seis mortos e 15 feridos em um ataque contra um ex-parlamentar do lado de fora de uma mesquita em Quetta, capital da província do Baluquistão. O ex-parlamentar escapou sem ferimentos, e até o momento nenhum grupo reivindicou responsabilidade pelo ataque. Um dia antes, um homem-bomba atacou um funeral de um policial também em Quetta deixando 30 mortos.

Com AP

Leia tudo sobre: paquistãoeualahoreviolênciaquetta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas