Casa onde mulheres foram mantidas reféns por 10 anos em Ohio é demolida

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Michelle Knight, uma das raptadas, foi ao local; para parentes, destruição de casa faz parte do processo de cura

A casa nos EUA onde três mulheres foram mantidas em cativeiro e estupradas por quase dez anos foi demolida. Autoridades querem garantir que destroços não sejam vendidos online como 'murderabilia' - comércio de artigos criminais.

Vídeo: Casa de sequestrador de três mulheres em Ohio é demolida

Leia mais: Raptor de três mulheres em Ohio é sentenciado à prisão perpétua

AP
Casa de Ariel Castro em Cleveland, Ohio, é destruída

Vídeo: 'Agora seu inferno vai começar', diz vítima a sequestrador de Ohio

A casa foi derrubada como parte de um acordo que livrou Ariel Castro de uma possível pena de morte. Ele foi sentenciado na semana passada à prisão perpétua. Ele pediu desculpas, mas culpou seu vício em pornografia pelo crime.

Michelle Knight, uma das mulheres sequestradas, foi ao local da demolição na quarta-feira, onde soltou alguns balões. Uma multidão de testemunhas comemorou quando a demolição começou.

Castro: Raptor de mulheres se declara culpado para escapar da pena de morte

Leia também: Saiba quem são as três mulheres resgatadas após dez anos

Parentes das vítimas dizem que a destruição da casa era parte do processo de cura do trauma vivido. 

As três mulheres desapareceram separadamente entre os anos de 2002 e 2004 quanto tinham 14, 16 e 20 anos. Todas elas haviam aceitado uma carona oferecida por Castro.

Charles Ramsey: Vizinho que libertou mulheres em Ohio rejeita rótulo de herói

Ouça: Polícia divulga áudio com pedido de socorro de mulher desaparecida

Elas foram encontradas em 6 de maio, quando Amanda Berry, agora com 27 anos, quebrou parte de uma porta e gritou aos vizinhos por ajuda. Castro foi preso no mesmo dia.

Reação: Irmãos esperam que sequestrador 'apodreça na prisão'

AP
Michelle Knight comparece à casa de Ariel Castro em Cleveland, Ohio

Arlene Castro: Filha de acusado pede perdão às vítimas

A casa, que rapidamente se tornou uma atração, era mantida por guarda policial por 24 horas em meio a ameaças de incêndio.

Procuradores dizem que Castro chorou quando entregou a escritura da casa e mencionou ter "muitas memórias felizes" no local com as três mulheres. Eles caracterizaram sua personalidade como "distorcida e confusa".

Leia tudo sobre: ariel castroeuaclevelandohioamanda berrymichelle knightgina dejesus

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas