Bolívia plantou menos coca em 2012, diz ONU

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

País luta para erradicar os cultivos excedentes da planta que poderiam ser desviados para mercados ilícitos

Reuters

O cultivo de coca na Bolívia, terceiro maior produtor de cocaína do mundo atrás do Peru e da Colômbia, caiu pelo segundo ano consecutivo em 2012, à medida que o governo intensificou os esforços de erradicação, revelaram dados oficiais divulgados nesta segunda-feira (5).

Em 2012: Presidente da Bolívia nomeia Sean Penn 'embaixador da coca'

AP
Vendedor mostra folhas de coca para clientes em mercado de La Paz, Bolívia

Arqueologia: Mastigação de folhas de coca ocorre há 8 mil anos

O preço da folha de coca, que pode ser usada para fazer cocaína, também diminuiu, de acordo com um estudo anual elaborado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e pelo governo boliviano.

O cultivo de arbustos de coca na Bolívia caiu cerca de 7%, para cerca de 25,3 mil hectares, após uma queda de 12% em 2011, segundo a pesquisa.

Antonino De Leo, representante da UNODC na Bolívia, disse que os esforços liderados pelo governo para erradicar o cultivo, bem como o diálogo com os agricultores e os incentivos sociais, ajudaram a reduzir a cultura.

Em 2010: Evo Morales admite que parte da coca vai para o narcotráfico

Ele disse que as autoridades bolivianas devem continuar a reduzir os excedentes de coca, aumentando as alternativas para os agricultores e fortalecendo os programas de combate aos narcóticos.

O presidente Evo Morales, um ex-plantador de folha de coca que defende os benefícios da folha para a saúde, saudou o relatório da ONU.

Morales trava uma disputa há anos com Washington sobre o que ele chama de intromissão dos EUA em assuntos latino-americanos, sob o pretexto da guerra contra as drogas. Em 2008, ele expulsou os agentes da agência antidrogas dos EUA da Bolívia, acusando-os de conspirar contra seu governo.

"Nossa luta nacional contra o tráfico de drogas está sendo realizada sem imposições, condições ou compensação do exterior", disse Morales nesta segunda-feira. "As políticas impostas (pelos EUA) não funcionam."

Os bolivianos mastigam folhas de coca há séculos como um estimulante leve que reduz a fome e o mal-estar provocado pela altitude. Plantar coca não é ilegal na Bolívia, mas o governo pretende erradicar os cultivos excedentes que poderiam ser desviados para mercados ilícitos.

As apreensões de pasta base de cocaína, uma substância extraída de folhas de coca para fazer a cocaína, cresceram 13%, para cerca de 32 toneladas.

Leia tudo sobre: bolíviamoralescocacocaínaonu

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas