Primeiro-ministro da Austrália convoca eleições para 7 de setembro

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Medida é tomada apenas seis semanas depois de queda de ex-líder Julia Gillard; conservador da oposição é o favorito

Reuters

O primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, convocou no domingo eleições gerais para 7 de setembro, apenas seis semanas depois de ter derrubado a ex-líder Julia Gillard em uma votação do partido, encerrando três anos de turbulência no governo trabalhista.

Junho: Premiê da Austrália perde liderança do partido

AP
Primeiro-ministro da Austrália, Kevin Rudd, dá coletiva na Câmara em Canberra

Sucessão: Kevin Rudd toma posse como premiê e pede 'gentileza' a políticos

Rudd, que foi abandonado por seu partido de centro-esquerda em junho de 2010, atraiu um aumento no apoio público desde que voltou, mas o líder da oposição conservadora Tony Abbott ainda é o favorito para conquistar o poder.

O governo trabalhista de Rudd poderia cair com a perda de apenas um dos 150 assentos no Parlamento. Seu governo detém atualmente 71 assentos, a oposição tem 72, os Verdes têm um e há seis independentes.

A oposição de Abbott prometeu eliminar um impopular imposto de 30% sobre o carvão e os lucros da mineração de minério de ferro se vencer as eleições.

Rudd retornou como primeiro-ministro em 26 de junho depois de derrubar Gillard, com um terço do gabinete da ex-premiê também deixando seus cargos.

O seu partido está no poder desde o final de 2007 e ajudou a Austrália a evitar a recessão após a crise financeira global de 2008, com a ajuda de um 'boom' da mineração alimentado pela demanda da China e da Índia.

No entanto, uma atualização do orçamento na sexta-feira mostrou que o crescimento econômico da Austrália está desacelerando com o fim da expansão de investimentos em mineração, com o aumento do desemprego, principalmente na indústria.

Leia tudo sobre: kevin ruddruddaustráliaeleição na austrália

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas