Após ameaça, EUA fecharão embaixadas no mundo muçulmano no domingo

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Fechamento incomum de missões foi decidido pelo Departamento de Estado por 'excesso de cautela'

Os Estados Unidos decidiram fechar suas embaixadas e consulados no mundo muçulmano no domingo após terem recebido uma ameaça não especificada, disseram autoridades.

Em 2012: Embaixador dos EUA na Líbia é morto em ataque em Benghazi

AP
Manifestante protesta contra Israel em frente à Embaixada dos EUA em Jacarta

Turquia: Ataque mata dois na Embaixada dos EUA em Ancara

Autoridades do Departamento de Estado afirmaram na quinta-feira que estavam agindo com "excesso de cautela".

A porta-voz Marie Harf citou informações indicando uma ameaça a prédios americanos em outros países e afirmou que alguns complexos diplomáticos devem ficar fechados por mais de um dia.

Fevereiro: EUA fecham embaixada na Síria e retiram diplomatas do país

Outras autoridades afirmaram que a ameaça tinha relação com o mundo muçulmano, onde o domingo é um dia útil. Missões diplomáticas na Europa, América Latima e em muitos outros lugares ficam normalmente fechadas no domingo.

Essas autoridades falaram em condição de anonimato, porque não estavam autorizadas a falar publicamente sobre o assunto.

Em 2012: Manifestantes egípcios invadem Embaixada dos EUA no Cairo

Segundo o jornal americano New York Times, autoridades deram poucos detalhes sobre o tipo de ameaça recebida, mas disseram que havia informações "críveis" de que uma franquia da Al-Qaeda estaria planejando um ataque em algum momento nos próximos dias.

O Departamento de Estado publicou um alerta no ano passado informando que complexos diplomáticos americanos no mundo muçulmano sobre uma potencial violência relacionada ao aniversário dos ataques terroristas de 11 de Setembro.

Dezenas de intalações dos EUA foram cercadas por manifestações de revolta contra um vídeo anti-Islã feito por um residente americano.

Em Benghazi, na Líbia, o embaixador dos EUA e três outros americanos foram mortos quando militantes invadiram um posto diplomático. O governo não considera que o ataque estivesse relacionado com os protestos.

Com AP

Leia tudo sobre: embaixada dos euaeuamundo muçulmanoameaçaal qaeda

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas