Suprema Corte da Itália mantém condenação de Berlusconi por fraude fiscal

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Justiça confirma sentença de um ano, mas pede revisão de proibição ao ex-premiê italiano de ocupar cargos públicos

AP
Ex-premiê italiano Silvio Berlusconi (foto de arquivo)

A mais alta corte da Itália manteve nesta quinta-feira uma condenção à prisão de Silvio Berlusconi por fraude fiscal, em um veredicto que pode resultar numa crise para a frágil coalizão que governa o país. A perda do caso na Suprema Corte é a primeira condenação definitiva do ex-premiê italiano em pelo menos duas dezenas de julgamentos.

Dia 31: Advogados pedem absolvição de Berlusconi por fraude fiscal

Domingo: Berlusconi diz que não fugirá da Itália se for condenado

O Tribunal de Cassação confirmou a condenação a quatro anos de prisão - comutada para um ano sob uma anistia -, mantendo a decisão de um tribunal inferior.

A corte ordenou, no entanto, que seja realizada uma revisão da proibição ao ex-premiê de ocupar cargos públicos pelo mesmo crime por cinco anos. Outra corte agora terá de determinar por quanto tempo vigorará a proibição. Nesta semana, um promotor recomendou que o banimento seja reduzido para três anos.

Desde terça, a Corte de Cassação escutou os argumentos da defesa dos dois advogados de Berlusconi e de três outros condenados por dois tribunais menores relativos à compra fraudulenta dos direitos de transmissão do seu império de televisão Mediaset.

Maio: Confirmação de pena de Berlusconi não abala governo da Itália, diz ministro

O aguardado veredicto deve colocar sob intensa pressão a frágil coalizão formada pelos tradicionais rivais de centro-esquerda e centro-direita, liderada pelo premiê Enrico Letta, apesar de Berlusconi ter prometido que seu partido de centro-direita manteria o apoio ao governo.

O magnata da mídia, de 76 anos, diz ser perseguido por juízes de esquerda desde que entrou para a política em 1994. Por causa de sua idade, a sentença de prisão deve ser cumprida por meio de serviço comunitário ou prisão domiciliar, e seus partidários dizem que ele continuaria dirigindo seu partido do Povo da Liberdade, que fundou e banca.

AP
Manifestantes celebram do lado de fora de Suprema Corte da Itália confirmação de condenação de Berlusconi por fraude fiscal

Apesar de não haver nenhum líder alternativo claro, há uma especulação de que a filha mais velha de Berlusconi, Marina, de 46 anos e presidente de sua holding Fininvest, se tornaria a líder pública do partido após sua condenação.

Junho: Berlusconi é sentenciado a sete anos por escândalo sexual

Março: Berlusconi é condenado a um ano de prisão por publicação de escuta

Os partidários mais linha dura de Berlusconi ameaçaram uma deserção em massa do governo e do Parlamento e um bloqueio das rodovias italianas com manifestações públicas se ele fosse condenado.

Mas uma ameaça maior ao governo pode vir do partido de Letta, que está dilacerado por uma luta de liderança. Muitos dos membros do partido já estão profundamente inquietos pela coalizão com Berlusconi e poderiam se rebelar após a condenação.

*Com Reuters e AP

Leia tudo sobre: itáliaberlusconifraude fiscalmediaset

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas