Tiroteio em edifício residencial no subúrbio da Flórida deixa 7 mortos

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo a polícia, um atirador abriu fogo em um edifício matando seis pessoas

Reuters

Sete pessoas foram mortas a tiros em um prédio residencial no subúrbio de Miami, neste sábado (27), incluindo o suspeito de ser o assassino, que mantinha dois vizinhos reféns quando uma equipe da Swat invadiu o local e o matou. Os reféns não se feriram, afirmou a polícia de Hialeah.

AP
Polícia retira corpo de apartamento no subúrbio de Miami, onde houve tiroteio

O confronto começou na noite da última sexta-feira (26), durante uma discussão entre o atirador, identificado pela polícia como Pedro Vargas, e o casal que administrava o complexo. Seus corpos estavam entre os seis encontrados depois que a equipe Swat invadiu o edifício.

Pedro Vargas, de 42 anos, vivia em um apartamento no quarto andar com sua mãe e podia estar prestes a ser expulso, disseram os vizinhos à polícia. Os proprietários Italo Pisciotti, de 78 anos, e Camira Pisciotti, de 68 anos, foram ao local discutir o problema com o atirador, que abriu fogo e matou ambos, segundo a polícia.

Após matar o casal, o atirador foi a outro apartamento, onde matou um casal e sua filha adolescente e depois disparou de uma sacada contra um homem que entrava em um edifício do outro lado da rua, matando-o também. Pedro chegou a atirar contra a polícia e nas equipes de emergência que chegavam ao local, impedindo-os de dar os primeiros socorros às vítimas.

Vargas então teria se trancado em um apartamento do quinto andar, onde fez dois vizinhos reféns, segundo os investigadores. Os negociadores fizeram contato com ele durante a noite e a equipe Swat invadiu o local após as duas da manhã, quando as conversas foram interrompidas.

Em algum momento durante a confusão, o atirador ateou fogo em seu apartamento, deixando o teto e o corredor chamuscados e acionando o sistema anti-incêndio, que encharcou parte do edifício. Sua mãe desmaiou e foi levada a um hospital, afirmou a polícia.

O complexo de apartamentos na comunidade operária e de maioria hispânica abriga cerca de 90 famílias.


Leia tudo sobre: miamiflóridaviolênciatiroteioestados unidos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas