Polícia turca usa canhões de água em novos protestos em Istambul

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Centenas de manifestantes seguiam para o Parque Gezi, no centro de Istambul, onde um casal que se conheceu durantes os protestos planejava se casar

Reuters

A polícia turca disparou canhões de água para dispersar centenas de manifestantes que iam em direção ao Parque Gezi, no centro de Istambul e epicentro dos intensos protestos contra o governo do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan.

No dia 6/7: Polícia turca usa gás lacrimogênio e canhão de água para dispersar manifestantes

Especial: Leia todas as notícias sobre os protestos na Turquia

As manifestações deste sábado (20) foram desencadeadas quando a polícia bloqueou o aceso ao parque, onde um casal que se conheceu durante as passeatas anti-governo do mês passado planejava se casar. O casal chegou a enviar um convite pela Internet a seus seguidores.

Batalhões de choque perseguiram os manifestantes por ruas laterais que se distanciam da Praça Taksim, onde está localizado o Parque Gezi.

AP Photo/Thanassis Stavrakis
Antes da desocupação, primeiro-ministro turco havia advertido que as forças de segurança "sabem como limpar" a área

A intervenção policial foi a primeira em uma semana em Istambul depois que os manifestantes marcharam em Taksim na semana passada, revoltados com um projeto de lei patrocinado pelo governo que tiraria de uma associação de arquitetos e engenheiros envolvidos nos protestos a autoridade final em projetos de planejamento urbano.

O que começou como um pequeno protesto contra reformas no Parque Gezi levou a uma onda nacional de manifestações no mês passado contra Erdogan, acusado por seus críticos de se tornar cada vez mais autoritário.

Tropa de choque da polícia fica coberta pela fumaça do gás lacrimogêneo durante confrontos na praça Taksim, Istambul (11/06). Foto: APManifestante joga uma lata de gás lacrimogêneo durante confrontos com a polícia na praça Taksim, Istambul (11/06). Foto: APManifestante tenta ficar de pé enquanto polícia joga jatos de água durante confrontos na praça Taksim, Istambul (11/06). Foto: APManifestantes turcos conversam no Parque Kugulu, ca capital da Turquia, Ancara (10/06). Foto: APTurco gesticula em frente de muro com grafite antigoverno perto da Praça Taksim, Istambul (08/06). Foto: ReutersFoto do premiê turco, Recep Tayyip Erdogan, é alterada para que ele se parecesse com Adolph Hitler é colocada na praça Taksim, Istambul (06/06). Foto: APManifestante turco grita palavras de ordem com o governo durante marcha sindicalista na Praça Kizilay, Ancara (05/06). Foto: APMulher sentada entre estudantes de ensino médio ergue suas mãos e grita palavras de ordem no Parque Gezi em Istambul (04/06). Foto: APManifestante segura bandeira da Turquia decorada com a imagem do fundador da Turquia Mustafa Kemal Ataturk, durante protesto na praça Taksim em Istambul (03/06). Foto: APPela manhã, manifestações são pacíficas no terceiro dia de protestos na Turquia (02/06). Foto: APPrédios foram pichados por manifestantes em Istambul (02/06). Foto: APMuitas vidraças acordaram quebradas após dois dias de protestos em Istambul (02/06). Foto: APNo domingo, um grupo menor de manifestantes se reúne na Praça Taksim (02/06). Foto: APônibus foram queimados durante confrontos da polícia com manifestantes (02/06). Foto: APÀ noite, polícia deixou a praça Taksim e manifestantes comemoraram (01/06). Foto: APÀ noite, manifestantes tentaram se aproximar do antigo Palácio Otomano, onde trabalha o primeiro-ministro em Istambul (01/06). Foto: APTensão entre policiais e manifestantes continuou na noite de sábado (01/06). Foto: APNo sábado, quase mil pessoas foram presas e dezenas ficaram feridas nas manifestações em várias cidades (01/06). Foto: APViolência policial espantou turistas e turcos no fim de semana (01/06). Foto: APManifestantes e forças de segurança se enfrentam pelas ruas de Istambul (01/06). Foto: APPolícia usou água para espantar manifestantes em Istambul (01/06). Foto: APForças polícias usaram gás lacrimogêneo contra manifestantes na praça Taskim, em Istambul (01/06). Foto: APManifestantes usaram pedras contra a polícia em Istambul (01/06). Foto: AP


Cinco pessoas morreram e milhares ficaram feridas durante a repressão policial por toda a Turquia, que representou o maior desafio ao governo de uma década de Erdogan. Embora os protestos tenham em grande parte minguado por todo o país, algumas demonstrações persistiram em Istambul e na capital, Ancara.

Leia tudo sobre: protestos na turquiainstambultaksim

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas