Farc dizem que mantêm soldado dos EUA como refém

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Guerrilheiros afirmam disposição de entregar americano para colaborar com as negociações de paz que mantém com o governo colombiano

Reuters

Guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) disseram ontem (19) que estão mantendo com refém um soldado norte-americano capturado em 20 de junho, mas que estão dispostos a soltá-lo para uma comissão humanitária em meio a uma tentativa de negociações de paz com o governo.

Leia também:

Colômbia e Farc chegam a acordo sobre reforma agrária

Política na Colômbia envolve violência, diz holandesa das Farc

As Farc disseram em seu site que capturaram o soldado, identificado como Kevin Scott Sutay, em uma floresta no sul do país, descrevendo-o como um especialista em remoção de minas terrestres de Nova York, que serviu no Afeganistão.

"Apesar do direito que temos de manter Kevin Scott como prisioneiro de guerra, tomamos a decisão política de libertá-lo no espírito das discussões que estão avançando em Havana com o governo colombiano", afirmou o grupo no comunicado.

O texto referiu-se às discussões de paz em andamento na capital cubana desde novembro, que visam acabar com cinco décadas de conflito.

Os Estados Unidos, que considera as Farc uma organização terrorista, têm ajudado o governo colombiano em uma ofensiva militar na última década, o que tem feito guerrilheiros recuarem para regiões remotas e reduzido seus integrantes.

O grupo guerrilheiro pediu que uma comissão seja formada para auxiliar a libertação do soldado, chefiada pelo ex-senador colombiano Piedad Cordoba e por representantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha e pela comunidade religiosa Sant'Egidio.

Leia tudo sobre: FARCEUAColômbia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas