Secretário de Estado dos EUA vai à Cisjordânia em esforço por negociações de paz

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Kerry encontrou negociador palestino em Amã nesta sexta e tem consultado autoridades israelenses por telefone

Reuters

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, vai à Cisjordânia nesta sexta-feira para encontrar o presidente palestino, Mahmud Abbas, disseram autoridades norte-americanas e palestinas, em um último esforço para renovar as negociações de paz com Israel.

Nahum Sirotsky: EUA apresentam opções para retomada de negociações

AP
Palestinos caminham em direção a posto de controle israelense entre Ramallah, na Cisjordânia, e Jerusalém no percurso para preces na Mesquita de Al-Aqsa

Em meio à tensão regional: EUA pressionam por paz entre Israel e palestinos

Leia: Líderes israelenses e palestinos não têm apoio popular para alcançar paz

Kerry reuniu-se com o negociador palestino Saeb Erekat em Amã nesta sexta e tem consultado as autoridades israelenses por telefone, disse um funcionário dos EUA, sem informar sobre avanços.

Um funcionário do Departamento de Estado dos EUA presente ao encontro em Amã nesta sexta afirmou que Kerry iria para Ramallah à tarde para encontrar Abbas, mas não revelou suas propostas para retomar as negociações de paz, rompidas desde 2010.

A liderança palestina rejeitou na quinta o mais recente plano de Kerry, mas sinalizou um caminho livre para que ele continue seu esforço pela paz.

Infográfico: Saiba os principais fatos do conflito entre Israel e palestinos

As negociações, cheias de altos e baixos nas últimas duas décadas, foram rompidas no fim de 2010 por causa de uma disputa sobre a construção de assentamentos israelenses nos territórios ocupados da Cisjordânia e Jerusalém Oriental, capturados na Guerra dos Seis Dias, em 1967.

De acordo com uma autoridade palestina, Erekat disse a Kerry que os palestinos estão prontos a voltar às negociações caso Israel concorde que as conversações tenham como ponto de partida as fronteiras de 1967.

"Também precisamos de alguns esclarecimentos em relação aos assentamentos (israelenses) e (à libertação de palestinos) prisioneiros", disse uma autoridade palestina.

2012: ONU reconhece de forma implícita Estado Palestino

Um porta-voz do governo israelense não pôde ser encontrado para comentar sobre a visita de Kerry. Israel recusou-se a atender as demandas dos palestinos e diz que as negociações devem retomar sem condições prévias.

O vice-ministro das Relações Exteriores israelense, Zeev Elkin, disse que estabelecer um Estado palestino nas fronteiras de 1967 seria "suicida".

"Uma negociação em que você primeiro diz no que está disposto a ceder não é o tipo de negociação que leva a bons resultados no Oriente Médio", disse Elkin à Rádio Israel.

Kerry, em sua sexta visita à região desde março, estava previsto para voltar aos EUA ainda nesta sexta-feira.

Leia tudo sobre: israelpalestinosoriente médiokerryestado palestino

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas