Índia investigará programa alimentar de escolas após morte de crianças

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Ao menos 23 crianças morreram após comer merenda escolar contaminada; polícia procura diretora da escola

Reuters

O governo da Índia anunciou nesta quinta-feira (18) que vai abrir um inquérito sobre a qualidade da comida oferecida nas escolas em um programa alimentar nacional gratuito, após a morte de ao menos 23 crianças em um dos mais graves surtos de intoxicação em massa dos últimos anos.

Índia: Merenda escolar contaminada mata ao menos 22 crianças

AP
Mulher senta ao lado de criança que ficou doente após comer merenda na escola em um hospital de Patna, Índia

Leia mais: Índia tem cerca de 6 mil desaparecidos após mês de enchentes

Poucos minutos depois de comer uma refeição de arroz com batata ao curry no Estado de Bihar, na terça-feira (16), as crianças começaram a adoecer, segundo disse uma cozinheira da escola à Reuters, a partir de sua cama no hospital.

As crianças, com idades entre 5 e 12 anos, morreram depois de sofrer surtos de vômitos e convulsões provocadas por agonizantes cólicas estomacais, disseram funcionários e parentes. Algumas morreram rapidamente, nos braços de seus pais, enquanto eram levadas ao hospital.

Norte da Índia: Brasileiros sobrevivem a inundações que mataram mais de 800

Dezenas de outras crianças estão sendo tratadas por intoxicação alimentar. Uma autoridade local disse que 25 crianças haviam morrido, mas o número não pôde ser confirmado.

A polícia estava à procura da diretora da escola na aldeia de Gandaman, em Bihar, um dos Estados mais pobres da Índia. A escola fornece refeições gratuitas sob o maior programa de alimentação escolar do mundo, envolvendo 120 milhões de crianças.

Saiba mais: Índia faz ampla operação de resgate após mortes por enchentes

Segundo a polícia, não foi possível afirmar conclusivamente o que causou o envenenamento, mas o foco da investigação recaia sobre o óleo utilizado na preparação da refeição.

Médicos que tratam as crianças disseram suspeitar que a comida tenha sido contaminada com inseticida. A imprensa disse que o óleo de cozinha pode ter sido armazenado em antigo recipiente de pesticidas.

"No momento em que as crianças foram trazidas, cheiramos este odor fétido de organofosforados", disse o médico Vinod Mishra, membro da equipe médica que tratou muitas das crianças no hospital universitário da capital de Bihar, Patna. "Parecia que o cheiro saia pelos poros. Foi quando nós preparamos o exame de intoxicação por organofosforado e funcionou."

Os compostos organofosforados são usados como pesticidas. "Nenhuma prisão foi feita até agora, enquanto estamos à espera de relatórios forenses que vão ajudar a montar a investigação", disse Sujit Kumar, superintendente da polícia no distrito de Saran, onde a aldeia de Gandaman está localizada.

O ministro da Educação, M.M. Pallam Raju, prometeu que "serão tomadas medidas" contra os responsáveis,mas não apontou ninguém pelo nome. Ele não deu detalhes sobre o comitê que estava montando para investigar a qualidade dos alimentos no programa alimentar da escola.

Leia tudo sobre: índiapatnamerenda escolarcontaminaçãocomida

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas