Armas encontradas em navio da Coreia do Norte eram obsoletas, diz Cuba

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Embarcação foi retida ao cruzar o Canal do Panamá; segundo Havana, armas seriam reparadas em Pyongyang

Cuba afirmou nesta quarta-feira (17) que o equipamento encontrado escondido debaixo de sacas de açúcar em um navio norte-coreano interceptado enquanto cruzava o Canal do Panamá se tratava de armamento obsoleto de meados do século 20, que havia sido enviado para reparos.

Leia mais: Panamá retém navio da Coreia do Norte com armas suspeitas

AP
Equipamento militar em container a bordo de um navio norte-coreano no terminal da costa de Colon City, Panamá

Autoridades panamenhas afirmaram que pode levar uma semana para que o navio seja vasculhado, uma vez que até o momento só um de seus cinco containers foram examinados. Eles pediram ajuda de inspetores da Organização das Nações Unidas (ONU), junto à Colômbia e ao Reino Unido, disse Javier Carballo, procurador da divisão de narcóticos do Panamá. A Coreia do Norte é alvo de sanções da ONU, o que a impede de importar armas ou mísseis sofisticados.

O presidente panamenho Ricardo Martinelli disse na terça-feira que o navio identificado como Chong Chon Gang, que havia partido de Cuba em direção à Coreia do Norte, estava carregando mísseis e outras armas "escondidas nos containers sob uma carga de açúcar".

Obstáculo: Informações sobre Coreia do Norte continua fora do alcance dos EUA

Martinelli publicou em sua página no Twitter uma foto mostrando um tubo verde que aparenta ser uma antena horizontal para o radar "Fan Song", usado para guiar mísseis disparados pelo sistema de defesa aérea SA-2 encontrado no antigo Pacto de Varsóvia (1955-1991) e nas nações aliadas da União Soviética (1922-1991), informou Neil Ashdown, analista de inteligência.

"É possível que isso possa ser enviado à Coreia do Norte para atualizar suas capacidades de defesa aérea de alta altitude", disse Ashdown.

Relações exteriores: Líder norte-coreano compromete laços com a China

A Coreia do Norte não fez comentários sobre a interceptação do navio, durante a qual 35 norte-coreanos foram presos após resistir aos esforços da polícia em reter a embarcação nas águas panamenhas na semana passada, segundo Martinelli. Ele disse que o capitão teve um ataque cardíaco e também tentou cometer suicídio.

Mas o Ministério das Relações Exteriores de Cuba divulgou um comunicado na noite de terça-feira reconhecendo que o equipamento militar pertencia à nação caribenha, dizendo que ele havia sido enviado para ser consertado e devolvido à ilha. "Os acordos assinados por Cuba neste campo são amparados pela necessidade de manter a nossa capacidade defensiva a fim de preservar a soberania nacional", dizia o comunicado.

Após 3º teste nuclear: ONU aprova novas sanções contra Coreia do Norte

Segundo o texto, a embarcação se dirigia à Coreia do Norte carregado em sua maioria com açúcar - 10 mil toneladas do produto - mas acrescentou que a carga também incluía 240 toneladas de "armamento defensivo obsoleto": Dois sistemas de mísseis antiaéreos Volga e Pechora, nove mísseis "em partes e peças", dois Mig-21 Bis e 15 motores para esses aviões.

O comunicado concluiu dizendo que Havana permanece "inabalável" em seu compretimento à lei internacional, à paz e ao desarmamento nuclear. O Conselho de Segurança da ONU impôs quatro rodadas de sanções duras contra a Coreia do Norte desde o primeiro teste nuclear, realizado no país em 9 de outubro de 2006.

15 anos: Americano começa a cumprir pena em 'prisão especial'

Sob as atuais sanções, todos os Estados-membro da ONU estão proibidos de diretamente ou indiretamente fornecer, vender ou transferir todas as armas, mísseis ou sistemas de mísseis e equipamentos e tecnologia para fabricá-las na Coreia do Norte, com exceção de armas pequenas e leves.

A mais recente resolução, aprovada em março após o terceiro teste nuclear de Pyongyang, autoriza todos os países a inspecionarem cargas que tenham como origem ou destino a Coreia do Norte caso um Estado possua uma informação crível de que tal carregamento possa violar as decisões do Conselho de Segurança.

Com AP

Leia tudo sobre: cubahavanacoreia do nortepyongyangarmaspanamá

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas