Autor de vazamentos de programas dos EUA diz que sofre perseguição e poderia ser submetido à tortura ou à morte

O ex-contratado da Agência Nacional de Segurança (NSA, sigla em inglês) dos EUA Edward Snowden entrou com um pedido de asilo temporário na Rússia nesta terça-feira (16), segundo informou seu advogado, alegando que ele sofre perseguição do governo americano e poderia ser submetido à tortura ou morte.

Leia também: EUA bloquearam Snowden na Rússia, diz Putin

Imagem fornecida pela HRW mostra Edward Snowden em coletiva no aeroporto de Sheremetyevo ao lado de Sarah Harrison, do WikiLeaks
AP
Imagem fornecida pela HRW mostra Edward Snowden em coletiva no aeroporto de Sheremetyevo ao lado de Sarah Harrison, do WikiLeaks

Após Venezuela e Nicarágua: Bolívia oferece asilo a delator dos EUA

O WikiLeaks , site que vaza segredos de governos e lideranças que vem assessorando Snowden, e o Serviço de Migração Federal da Rússia confirmaram o pedido de asilo temporário. Por lei, os órgãos competentes têm três meses para avaliar o pedido, mas pode fazer isso mais depressa.

Snowden, que revelou detalhes do programa de inteligência dos EUA que monitorava dados telefônicos e informações da internet , argumentou em seu pedido que a razão pela qual necessita do asilo é a que ele "enfrenta perseguição do governo americano e teme por sua vida e por sua segurança, e teme ser subjugado à tortura e à pena de morte", disse o advogado Anatoly Kucherena à TV Rossiya 24.

Negativa: Patriota diz que Brasil não dará asilo político a delator dos EUA

Incerto: Como Snowden poderia chegar até Caracas?

Kucherena afirmou à agência Associated Press que se encontrou com o ex-analista da NSA na zona de trânsito do aeroporto Sheremetyevo, em Moscou, para dar assessoria jurídica a ele e Snowden fez o pedido após a reunião.

Snowden está confinado no aeroporto russo desde que chegou de Hong Kong no dia 23 de junho. Ele possuía ofertas de asilo da Venezuela, Nicarágua e Bolívia , mas uma vez que seu passaporte americano foi revogado, a logística para chegar a qualquer país é complicada.

Ele disse na sexta-feira, durante um encontro com ativistas de direitos humanos russos, incluindo Kucherena, que tentaria buscar refúgio temporário na Rússia até que conseguisse viajar para uma das nações latino-americanas que ofereceram asilo a ele.

Denúncias pelo vazamento de Snowden:
Brasil: Leia todas as notícias sobre a espionagem no Brasil
Monitoramento: EUA mantêm ampla base de dados telefônicos
Prism: EUA coletam dados de nove empresas de internet
Jornal: EUA podem usar dados de inteligência sem mandado
Anfitrião: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009
Guerra cibernética: EUA espionam computadores da China
Diplomatas: Europa exige respostas sobre supostos grampos dos EUA

O asilo temporário permitiria que Snowden viajasse livremente e trabalhasse na Rússia, segundo Kucherena. Ele escolheu entrar com um pedido de asilo temporário em vez de asilo político, porque esta opção demoraria muito até ser considerada.

Kucharena acrescentou que Snowden não possui planos imediatos para deixar a Rússia. Segundo a lei do país, o asilo temporário e fornecido para o período de um ano e pode ser renovado a cada ano.

Sexta-feira: Snowden se reúne com grupos humanitários no aeroporto

A estada de Snowden na Rússia fragilizou as já tensas relações entre Washington e Moscou. Na segunda-feira, o presidente do país, Vladimir Putin, descreveu a chegada de Snowden como um presente indesejável imposta à Rússia pelos EUA. Ele disse que Snowden foi a Moscou com a intenção de somente viajar para outro país, mas os EUA intimidaram outros países a aceitá-lo, bloqueando os movimentos do fugitivo .

Snowden já havia feito um pedido de asilo à Rússia , o qual Putin disse que garantiria somente se ele concordasse em parar de vazar mais informações sobre os EUA. Snowden, então, retirou o pedido , segundo informou o Kremlin.

Durante o encontro de sexta-feira na zona de trânsito do aeroporto, Snowden disse não ter ferido os interesses americanos no passado e não possuía nenhuma intenção em fazê-lo. Putin não disse na segunda-feira se suas alegações seriam suficientes para a garantia de asilo.

O porta-voz do presidente Dmitry Peskov disse nesta terça-feira, segundo a agência de notícias Interfax, que apesar de Snowden ter se manifestado favorável à condição imposta por Putin, ele não fez "nenhuma confirmação disso por escrito".

Putin destacou que Snowden aparentemente não tem intenção de ficar na Rússia permanentemente. Questionado sobre para onde o ex-analista da NSA poderia ir, Putin respondeu: "Como eu poderia saber? É a vida dele, o destino dele."

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.