Ataques de avião não-tripulado dos EUA e da Força Aérea do Paquistão matam 19

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Ataques ocorreram em uma região tribal do Paquistão neste domingo. Entre os mortos estariam dos estrangeiros

Reuters

Pelo menos 19 supostos militantes, incluindo dois estrangeiros, foram mortos em uma região tribal sem lei no Paquistão durante uma operação militar paquistanesa e um ataque separado por um avião teleguiado dos Estados Unidos, disseram as autoridades de segurança no domingo.

Leia também: Homem-bomba mata segurança do presidente do Paquistão

O Paquistão tem sofrido uma onda de ataques de militantes desde que o primeiro-ministro do país, Nawaz Sharif, assumiu o cargo no mês passado, colocando pressão sobre sua equipe para que aja de forma mais agressiva para conter a insurgência.

NYT
Ataque dos EUA foi feito por um avião não tripulado

Ataques com mísseis de aviões não-tripulados dos EUA causaram os maiores danos contra combatentes do Taliban nas regiões montanhosas que se estendem pela fronteira afegã nos últimos anos, às vezes causando pesadas baixas civis.

No terceiro ataque desse tipo desde que Sharif chegou ao poder, dois supostos militantes em uma motocicleta foram atingidos por mísseis na região de Mir Ali, no Waziristão do Norte, no sábado à noite, disse uma autoridade.

"Dois homens, provavelmente cidadãos árabes, estavam passando pelo vilarejo de Mosaki quando o drone (avião teleguiado) lançou dois mísseis e os atingiu," disse a autoridade.

Outra fonte de segurança disse que eles eram militantes estrangeiros do Turcomenistão.

É difícil verificar o impacto de ataques de aviões não tripulados nos militantes e nos civis, porque observadores independentes e jornalistas praticamente não têm acesso às áreas onde a maioria dos ataques ocorre.

Mais: Homens armados matam 9 turistas estrangeiros e seu guia

O governo, ao mesmo tempo que condena os ataques com esse tipo de aeronave, dizendo que são uma violação à sua soberania, quer parecer decisivo nos seus próprios esforços para combater os militantes em seu território e prometeu preparar uma nova estratégia de segurança para lidar com a insurgência.

Em uma operação separada da força aérea paquistanesa, jatos atacaram vários esconderijos de militantes durante a noite, matando pelo menos 17 insurgentes, disseram autoridades de segurança do alto escalão.

"Essas regiões são conhecidas como redutos dos militantes, de onde eles realizam ataques mortais em Kohat e Peshawar," disse uma autoridade em Kohat à Reuters, sob a condição de anonimato.

Autoridades militares paquistanesas acreditam que as montanhas que ligam as regiões tribais de Orakzai, Khyber e Kurram são alguns dos principais redutos dos militantes ligados ao Taliban, no Paquistão.

Outra alta autoridade militar da cidade fronteiriça do noroeste, Peshawar, confirmou que os ataques aéreos aconteceram "em algum lugar entre Orakzai e Khyber".

"Podíamos ouvir o barulho dos caças e ver as chamas quando as bombas foram lançadas nas montanhas," disse Shafqat Hussain, residente de Kohat, sobre a operação noturna.

Muitos talibans e seus aliados da Al Qaeda fugiram do Afeganistão para as regiões tribais do Paquistão, depois da invasão dos Estados Unidos em 2001. Eles recuaram ainda mais para as montanhas depois de uma ofensiva do Exército do Paquistão em 2009, lançando ataques de lugares onde as forças terrestres não conseguem alcançá-los.

Leia tudo sobre: paquistãoeuaataquedroneavião não-tripulado

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas