Deslizamento deixa dezenas de soterrados no oeste da China

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

De 30 a 40 vítimas ficaram sob a terra após deslizamento provocado por inundações na província de Sichuan

As inundações no oeste da China, as priores em 50 anos para algumas regiões, provocaram um deslizamento de terra que deixou até 40 soterrados nesta quarta-feira (10) e destruiu um memorial feito para as vítimas do terremoto de 2008.

Vídeo: Tempestade tropical causa destruição e morte na China

AP
Residentes deixam suas casas em rua atingida por enchente na cidade de Guanghan na província de Sichuan, China (9/7)

Assista: Bebê é resgatado com vida de casa desmoronada na China

Enquanto isso, no nordeste, ao menos 12 trabalhadores foram mortos quando uma violenta tempestade caisou o desabamento de uma oficina de mina de carvão inacabada, informou um comunicado do governo municipal de Jinzhong, onde o acidente ocorreu. 

Não houve nenhuma afirmação sobre as chances de sobrevivência dos 30 a 40 soterrados no deslizamento na cidade de Dujiangyan, na província de Sichuan, mas equipes de resgate com cães farejadores vasculhavam a área nesta manhã, segundo a agência de notícias estatal Xinhua.

Sichuan: China envia suprimentos a comunidades isoladas após terremoto

Deslizamentos e inundações são comuns nas regiões montanhosas da China e matam centenas todo ano. O desmatamento provoca erosão do solo e torna algumas partes da China suscetíveis a deslizamentos após fortes chuvas.

Próximo ao condado de Beichuan, a inundação destruiu prédios e exibições em um memorial construído para as vítimas de um terremoto que deixou 90 mil mortos ou desaparecidos há cinco anos. A cidade de Beichuan foi abandonada e os 27 km² de ruínas transformados em um memorial e um museu.

A inundação também provocou o desabamento de um ponte de 50 anos em um condado vizinho. Doze pessoas estão desaparecidas.

Desde domingo, as inundações em Sichuan afetaram 360 mil moradores, destruindo ou danificando mais de 300 casas, segundo informações da mídia estatal.

Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas