Explosão atinge reduto do Hezbollah em Beirute, Líbano

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Provável detonação de carro-bomba fere ao menos 53; explosão deve ser efeito direto da guerra na vizinha Síria

Uma grande explosão atingiu o reduto do grupo militante islâmico Hezbollah no sul da capital do Líbano nesta terça-feira, produzindo uma coluna grossa de fumaça e deixando ao menos 53 feridos, disseram fontes de segurança.

Análise: Hezbollah posiciona Líbano na defesa de Assad na Síria

Reuters
Homens são vistos perto de local de explosão no sul de Beirute

NYT: Hezbollah assume riscos ao combater rebeldes sírios

A poderosa explosão em um bairro comercial e residencial aconteceu quando muitos libaneses xiitas começaram a observar o mês sagrado do Ramadã. A explosão, a pior a atingir a área em anos, provavelmente é uma consequência direta da guerra na vizinha Síria.

Grupos de partidários ultrajados do Hezbollah marcharam para a área depois da explosão, tendo em mãos fotos do líder do grupo, xeque Hassan Nasrallah, e gritando palavras de ordem em seu apoio. Operativos do Hezbollah dispararam para cima para dispersar pessoas que atacaram o ministro do Interior com pedras depois de ele inspecionar a cena da explosão, mantendo-o preso por 45 minutos em um prédio antes de ele poder ser escoltada para fora por uma porta nos fundos.

Nahum Sirotsky: Síria aumenta tensão de Israel com o libanês Hezbollah

Com desentendimentos entre xiitas e sunitas em ascensão, o Líbano religiosamente misturado e perigosamente frágil está cada vez mais sob a influência de forças poderosas que vêm dividindo o mundo árabe ao longo de linhas sectárias. Alguns grupos rebeldes sírios, que são predominantemente sunitas, ameaçaram atacar no Líbano depois que o Hezbollah se uniu aos soldados so presidente Bashar Assad em sua batalha contra combatentes da oposição.

"Essa é a mensagem, mas não vamos nos render", disse Ziad Waked, um funcionário municipal, à televisão do Hezbollah Al-Manar.

A explosão desta terça atingiu a área de Beir el-Abed, sendo mais provavelmente causada por um carro-bomba, disseram autoridades sob condição de anonimato. Elas afirmaram que a explosão aconteceu em um estacionamento perto do Islamic Coop, um supermercado normalmente cheio de compradores e com um posto de gasolina.

"Estava na minha moto em direção à loja de doces e então essa forte explosão me atingiu e caí no chão", disse um empregado de 52 anos de uma companhia privada. "Primeiramente pensei que fosse um terremoto", disse.

Al-Manar e forças de segurança puseram o número de feridos em 18, enquanto o chefe de operações da Cruz Vermelha apontou 37, dizendo que são todos ferimentos leves, muitos causados por vidros quebrados.

A área fica perto do que é conhecido como "quarteirão de segurança" do Hezbollah, onde muitas das autoridades do partido vivem e têm escritórios. A explosão desta terça é uma das maiores na área desde o fim da guerra civil de 15 anos do país, em 1990.

Reuters
Fumaça sobe enquanto veículos destruídos e danificados são vistos em local de explosão em subúrbio no sul de Beirute, Líbano

Em maio, dois foguetes alcançaram o reduto do Hezbollah no sul de Beirute, deixando quatro feridos. Os projéteis foram lançados depois de Nasrallah prometer em um discurso que ajudaria Assad a alcançar a vitória na Síria.

Nasrallah: Síria enviará armas ao Hezbollah como reação a ataques de Israel

Em junho, um outro foguete atingiu a mesma área, sem deixar vítimas. Os militantes do Hezbollah foram importantes em uma recente vitória do regime sírio, quando forças do governo retomaram o controle da cidade estratégica de Qusair, perto da fronteira libanesa.

A maioria dos sunitas do Líbano apoia os majoritários rebeldes sunitas na Síria, enquanto muitos xiitas apoiam Assad, que é um membro da minoritária seita alauíta síria, um braço do Islã xiita.

*Com AP

Leia tudo sobre: hezbollahbeiruteexplosãolíbano

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas