Vítima de acidente aéreo de São Francisco pode ter sido atropelada

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Jovem no voo pode ter morrido por carro de emergência; investigadores avaliam se tripulação usava automação

Uma das adolescentes mortas em um acidente do voo 214 da Asiana Airlines no sábado pode ter sido atropelada por um veículo de emergência no Aeroporto Internacional de São Francisco, disseram autoridades nesta segunda-feira. O acidente deixou mais de 180 feridos.

Dois mortos: Avião sofre acidente em São Francisco

AP
Parente de uma das duas chinesas mortas em acidente com avião da Asiana em São Francisco chora chora em aeroporto de Xangai

16 anos: China identifica estudantes mortas em acidente de avião

As vítimas, as chinesas Ye Mengyuan e Wang Linjia, estudantes de 16 anos da Escola Secundária de Jiangshan, estavam entre 35 estudantes chineses que se dirigiam ao acampamento de verão da Escola Cristã de West Valley.

A chefe do Corpo de Bombeiros, Joanne Hayes-White, e o vice-chefe assistente Dale Carnes levantaram a possibilidade em coletiva com resgatistas. "Há uma possibilidade de que uma das mortes tenha relação com um de nossos carros durante algum momento do incidente", disse Carnes.

Previamente, o médico legista do Condado de San Mateo, Robert Foucrault, disse que seu escritória conduzia uma autópsia para determinar se uma das vítimas sobreviveu ao acidente aéreo e foi morta por atropelamento. Ele disse que seu departamento foi avisado da possibilidade por funcionários do Corpo de Bombeiros no local do acidente no sábado.

Acidente aéreo: 'É milagre estarmos vivos', diz sobrevivente em São Francisco

O avião com 307 a bordo (291 passageiros e 16 tripulantes) partiu de Xangai, China, e fez uma escala em Seul, Coreia do Sul, antes de decolar em direção a São Francisco. Ele se preparava para pousar quando a parte traseira atingiu a margem da pista, perdendo a cauda. A maioria dos passageiros conseguiu escapar antes de o avião se incendiar.

A aenonave voava muito mais lento do que os recomendados 252,7 km/h quando se aproximava da pista, e os sistemas de bordo alertaram a tripulação de que o avião estava perto de travar momentos antes do acidente, de acordo com a Comissão Nacional de Segurança dos Transportes dos EUA (NTSB, na sigla em inglês). Há indicações de que a tripulação tentou abortar o pouso um pouco antes do acidente.

Investigação do acidente

O que os investigadores ainda não sabem é se a inexperiência dos pilotos com o Boeing 777 desempenhou um papel no caso. Autoridades disseram que também centrarão sua investigação em saber se os equipamentos do aeroporto ou do avião não estavam funcionando direito.

Boeing 777: Pilotos tentaram abortar pouso antes da queda em São Francisco

Avião que caiu em São Francisco (EUA) perdeu parte de fuselagem (6/7). Foto: APImagem da TV local mostra danos ao avião da Asiana Airlines (6/7). Foto: APVista aérea do Boeing 777 da Asiana que caiu no aeroporto de São Francisco (6/7). Foto: APPedaço da cauda do Boeing 777 da Asiana Airlines que se partiu durante a queda (6/7) . Foto: APImagem da TV local mostra danos ao avião da Asiana Airlines (6/7). Foto: APReprodução de vídeo no Youtube mostra fumaça saindo do avião na pista do aeroporto de São Francisco (6/7). Foto: Reprodução/YoutubeBombeiros trabalham para conter fogo em avião que caiu na pista do Aeroporto International de São Francisco, nos EUA (6/7). Foto: AP Photo/Noah BergerRabo do avião da Asiana se separou de resto do avião após queda na pista de pouso de São Francisco (6/7). Foto: APImagem mostra momento que avião da Asiana Airlines cai durante procedimento de pouso em São Francisco, nos EUA (6/7). Foto: APFoto tirada de celular mostra queda de avião no Aeroporto de São Francisco, EUA (6/7). Foto: AP

"Certamente avaliamos a tripulação e como ela operou, como ela foi treinada, qual sua experiência", disse a presidente da NTSB, Deborah Hersman, nesta segunda-feira ao programa "New Day" da CNN. "Também analisamos a aeronave. Queremos saber se a tripulação usava automação, voava com o piloto automático ou se estava com as mãos no manche", acrescentou.

Infográfico: Saiba quais são os 10 piores acidentes aéreos do mundo

Como muitas aeronaves modernas, o Boeing 777 é capaz de pousar automaticamente, mas não está claro se o computador do avião era o responsável pela tentativa de aterrissagem ou se ela era feita pelo piloto, que, segundo a Asiana, fazia seu primeiro pouso em São Francisco com esse modelo de avião.

Leia também: Decolagem e pouso são as fases mais perigosas do voo

Lee Kang-kuk, o piloto veterano que era o capitão do voo 214, fez o percurso de Seul a São Francisco várias vezes entre 1999 e 2004, informou a companhia. Mas o sábado marcou a primeira vez em que ele pilotou um Boeing 777 no Aeroporto Internacional de São Francisco e foi a nove vez que voou esse modelo, tendo 43 horas no comando. No total, ele tinha 10 mil horas de voo como piloto, afirmou a Asiana.

*Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas