Porta-voz do governo americano afirmou que país vai esperar antes de rotular crise como golpe de Estado

Reuters

A Casa Branca afirmou nesta segunda-feira (8) que não está nos planos dos Estados Unidos mudar imediatamente seu programa de ajuda ao Egito, onde o presidente Mohamed Morsi foi afastado do cargo por militares na semana passada.

Rebelião:
Confrontos entre Exército do Egito e partidários de Morsi deixam 54 mortos

O governo dos EUA ainda não está preparado para rotular a derrubada do governo egípcio como um golpe de Estado, uma decisão que determinaria se a ajuda norte-americana ao país deveria continuar ou não, disse o porta-voz da Casa Branca Jay Carney.

Golpe contra Morsi: Leia todas as notícias sobre a queda de Morsi

"Há consequências significativas que irão junto com esta determinação, e é uma questão altamente sensível para milhões de egípcios que têm pontos de vista diferentes sobre o que aconteceu", afirmou Carney a repórteres.

Saiba mais: Entenda a crise que levou à queda de Morsi no Egito

"Nós vamos levar o tempo necessário para rever o que aconteceu e acompanhar os esforços por parte das autoridades egípcias para moldar um sistema inclusivo e democrático", disse ele.

Veja imagens da crise no país após a deposição de Morsi:

O Departamento de Estado apelou ao Exército egípcio para exercer "máxima contenção" ao lidar com os manifestantes, depois que pelo menos 51 pessoas foram mortas quando militares abriram fogo contra partidários de Morsi nesta segunda-feira.

Análise: Egito tenta evitar conflito civil após deposição de islamita Morsi

"Condenamos fortemente qualquer tipo de violência, bem como qualquer incitamento à violência", afirmou a porta-voz do Departamento de Estado Jen Psaki.

Entenda: Impasse político impede confirmação de ElBaradei como premiê

"Pedimos aos militares para usar o máximo de contenção ao responder aos manifestantes, assim como pedimos a todos aqueles que estão protestando para fazê-lo em paz."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.