Agência de Segurança dos EUA teve colaboração da Alemanha

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Delator Edward Snowden diz a revista alemã que esquema de vigilância dos EUA tinha ajuda de outros países

Reuters

Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) trabalha em estreita colaboração com a Alemanha e outros países ocidentais, afirmou o ex-funcionário da NSA Edward Snowden em comentários que jogam um balde de água fria no tom de indignação da chanceler Angela Merkel.

Destino: Presidente da Venezuela oferece asilo humanitário a Snowden

"Eles estão na cama com os alemães, assim como a maioria dos outros países ocidentais", informou a revista alemã Der Spiegel citando o ex-agente na publicação deste domingo. A entrevista foi realizada antes de Snowden fugir para Hong Kong em maio.

Reprodução/ Guardian
Edward Snowden, que revelou o programa de monitoramento da NSA: 'Não tenho nenhuma intenção de esconder quem sou porque sei que não fiz nada de errado'

"Outras agências não nos perguntam de onde nós tiramos a informação e nós não fazemos perguntas também. Dessa forma, eles podem proteger seus principais políticos da reação caso apareça a informação sobre como a privacidade das pessoas é abusada em todo o mundo", disse ele.

Leia mais: Embaixada do Brasil em Moscou recebe pedido de asilo de Snowden

Kremlin: Delator dos EUA abandona planos de permanecer na Rússia

Pai: Delator voltaria aos EUA se não fosse preso antes do julgamento

Seus comentários sobre a cooperação com os governos estrangeiros parecem contradizer a reação do governo alemão sobre a dimensão da espionagem eletrônica dos EUA.

A Alemanha exigiu explicações sobre as acusações de espionagem em larga escala pela NSA e pela Grã-Bretanha. A chanceler Angela Merkel salientou, durante recente visita do presidente Barack Obama de que a Alemanha tinha evitado ataques terroristas graças a informações de aliados. Mas ela diz que deve haver limites para a intrusão na privacidade.

Berlim se referiu ao escândalo como tática da "Guerra Fria" -- Merkel usou o termo novamente no sábado -- e disse que a espionagem de amigos é inaceitável.

Leia tudo sobre: ciasnowdenespionagem

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas