Polícia turca usa gás lacrimogênio e canhão de água para dispersar manifestantes

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Participantes de marcha tentavam entrar no parque Gezi, centro dos protestos contra governo em junho

Reuters

A polícia turca disparou gás lacrimogêneo e canhões de água para dispersar manifestantes em uma praça central de Istambul no sábado, enquanto eles se reuniam para entrar no parque que foi o centro dos protestos contra o governo no mês passado.

Leia todas as notícias sobre os protestos na Turquia

AP Photo/Thanassis Stavrakis
Polícia turca usa canhão de água para dispersar manifestantes. Imagem do dia 15/06

A Plataforma Solidariedade Taksim, uma combinação de uma série de grupos políticos, tinha convocado uma marcha para entrar no parque Gezi, mas as autoridades de Istambul advertiram que qualquer agrupamento seria confrontado pela polícia.

Redes sociais: Turquia quer controle sobre Twitter após protestos

A repressão policial contra um grupo que protestava contra o projeto de remodelação do parque Gezi, uma área arborizada de Taksim, desencadeou uma onda de protestos em todo o país no mês passado contra o primeiro-ministro, Tayyip Erdogan, acusado por seus críticos de se tornar cada vez mais autoritário, após uma década no poder.

Parados: 'Homem em pé' lança nova onda de protestos na Turquia

o canal de TV turco Halk divulgou imagens de manifestantes na praça Taksim em pé na frente de policiais, exibindo uma decisão judicial sobre o cancelamento dos planos para construção de uma réplica de um quartel da era otomana na praça Taksim de Istambul. O plano é apoiado por Erdogan.

Tradições: Consumo de álcool reflete embate entre seculares e religiosos 

Imprensa: Cobertura escassa da mídia sobre protestos desagrada turcos

Protestos: Premiê da Turquia promete ampliar poderes da polícia

O governo pode recorrer da decisão do Tribunal, considerada uma vitória para os manifestantes e um golpe para Erdogan, que reagiu rápido contra protestos e tumultos que, segundo ele, foram munidos por terroristas e saqueadores.

Quatro pessoas foram mortas e cerca de 7.500 feridas na repressão policial, de acordo com a Associação Médica da Turquia.


Leia tudo sobre: turquiaprotestos na turquiaistambul

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas