Delator voltaria aos EUA se não fosse preso antes do julgamento, diz pai

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Lonnie também aponta que Snowden rejeitaria 'lei do silêncio' e gostaria de escolher em que corte ser julgado

Lonnie Snowden, pai de Edward Snowden, ex-funcionário de uma prestadora de serviço da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) que fugiu do país, disse nesta sexta-feira estar razoavelmente confiante de que seu filho vai voltar aos EUA, desde que sejam respeitadas determinadas condições.

No Senegal: Obama rejeita interceptar aviões para capturar Snowden

AP
Em aeroporto de Moscou, simpatizante de delator dos EUA Edward Snowden segura cartaz em que se lê: 'Edward! Rússia é sua segunda terra natal!'

NYT: Chat criptografado e reunião secreta possibilitaram expor vigilância

Essas condições podem incluir a não detenção de Snowden antes do julgamento pela acusação de violar as leis de espionagem dos EUA ao vazar informações sobre os programas de monitoramente da NSA, informou a NBC News nesta sexta.

À reportagem, Lonnie disse que seu advogado informou em carta ao secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, que Snowden provavelmente voltaria voluntariamente ao país se não fosse preso antes do julgamento, não fosse submetido a uma proibição de fazer comentários públicos e se pudesse escolher o lugar de seu julgamento.

Denúncias pelo vazamento de Snowden:
Monitoramento: EUA mantêm ampla base de dados telefônicos
Prism: EUA coletam dados de nove empresas de internet
Jornal: EUA podem usar dados de inteligência sem mandado
Denúncia: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009

AP
Passageiros comem em uma cafeteria diante de TV passando notícias sobre Edward Snowden no aeroporto Sheremetyevo, Moscou (26/06)

Snowden fugiu dos EUA para Hong Kong em maio, poucas semanas antes da publicação nos jornais Guardian e Washington Post de detalhes fornecidos por ele sobre um programa secreto de vigilância de internet e tráfego de telefone por parte do governo dos EUA.

Após os EUA emitirem um pedido de extradição para Hong Kong, Snowden fugiu para a Rússia, onde está na área de trânsito do aeroporto de Moscou.

Rússia: Putin rejeita extradição de Snowden aos EUA

A certa altura da entrevista exibida pela NBC no programa "Today Show" desta sexta, o pai de Snowden, que não fala com o filho desde abril, também se disse preocupado que ele esteja sendo manipulado por outros, incluindo pessoas do WikiLeaks, site de vazamentos que tenta ajudar Snowden a conseguir asilo.

Correa: Equador critica pressão por Snowden e renuncia a benefícios

"Não quero colocá-lo em perigo, mas estou preocupado com as pessoas que o cercam", disse Lonnie. "Acho que o WikiLeaks, se você observar sua história antiga, não tem como foco necessariamente a Constituição americana. Simplesmente quer divulgar o máximo de informação que conseguir."

Traidor ou herói: Snowden abre debate sobre limites da guerra ao terror

O pai do ex-técnico da CIA reconheceu que seu filho desrespeitou a lei, mas não pensa que cometeu uma traição. "Se as pessoas querem caracterizá-lo como traidor, ok, porque ele traiu seu governo. Mas não acho que ele tenha traído a população americana", afirmou à NBC.

*Com Reuters e AP

Leia tudo sobre: snowdenregistros da internetregistros de telefonensaprismfisa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas