Kevin Rudd toma posse como premiê da Austrália e pede 'gentileza' a políticos

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Após Julia Gillard ter sido derrotada em votação por liderança de partido, ex-premiê volta ao poder após 3 anos

Kevin Rudd tomou posse como primeiro-ministro da Austrália nesta quinta-feira (27), um dia depois de ter derrotado a então premiê Julia Gillard em um voto interno pela liderança do Partido Trabalhista. Em seu discurso, ele pediu aos seus colegas parlamentares que fossem "um pouco mais gentis e suaves" uns com os outros.

Quarta-feira: Premiê da Austrália perde liderança do partido

Em 2012: Premiê australiana vence disputa interna do Partido Trabalhista

AP
Premiê australiano Kevin Rudd faz discurso no Parlamento, em Canberra

Kevin Rudd: Chanceler renuncia e abre crise para premiê da Austrália

A votação que retirou Julia Gillard do poder ocorreu três anos e dois dias depois de ela ter derrotado Rudd em um confronto interno semelhante, tornando-se a primeira premiê mulher do país. Julia entregou sua renúncia na noite de quarta-feira.

Em um breve discurso ao Parlamento duas horas após ter sido empossado como líder nacional, Rudd elogiou as "grandes reformas" implementadas por Julia em questões como leis industriais e testes de alfabetização, bem como "seu grande trabalho como porta-estandarte para as mulheres".

Austrália: Gillard convoca eleições na Austrália para 14 de setembro

Desde a queda de Rudd e a ascensão de Julia, o Partido Trabalhista viveu uma sucessão de conflitos internos. Anteriormente, Rudd havia tentado por duas vezes derrubar Julia, uma vez no ano passado e outra em fevereiro. "Como todos sabemos nesse lugar, a vída política é dura, muito dura de fato", disse Rudd. "Vamos tentar, apenas tentar, ser um pouco mais gentis e suaves uns com os outros durante as deliberações desse Parlamento."

O retorno de Rudd à liderança foi traçada por causa da queda de popularidade de Julia antes das eleições, marcadas por ela para 14 de setembro. Apesar dos australianos preferirem Rudd a Julia, é provável que a oposição conservadora ganhe a próxima eleição.

Protestos de aborígenes: Polícia escolta premiê cercada por manifestantes

Em 2011: Escândalo de prostituição ameaça governo de premiê da Austrália

Rudd fez um alerta de que o Partido Trabalhista poderia enfrentar sua pior derrota eleitoral em 111 anos de história com Julia na liderança. Ela não possuía o mesmo carisma de Rudd e, embora muitos parlamentares trabalhistas preferissem seu estilo, sua perda de popularidade entre os eleitores fez com que a maioria votasse por mudança.

O líder da oposição Tony Abbott exigiu uma explicação de Rudd sobre a deposição de Julia um pouco antes das eleições. Abbott também pediu que uma data fosse confirmada para as eleições. "Política é um negócio difícil e às vezes muito mais brutal do que precisava ser", disse. "Esse é um momento preocupante na vida da nossa nação. Uma primeira-ministra foi derrubada e o seu substituto deve ao povo australiano e ao Parlamento uma explicação."

O governador-geral Quentin Bryce empossou Rudd como primeiro-ministro nesta quinta-feira, que deveria ser o último dia de trabalhos no Parlamento antes das eleições. Anthony Albanese foi empossado como vice-premiê e Chris Bowen como tesoureiro na mesma cerimônia.

Rudd poderá enfrentar um voto de confiança no Parlamento, do qual provavelmente ele conseguiria vencer. A perda poderia adiantar as eleições para 3 de agosto.

Com AP

Leia tudo sobre: kevin ruddruddjulia gillardgillardaustráliapartido trabalhista

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas