Casa Branca pressiona Rússia a expulsar delator Snowden e critica China

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ex-técnico da CIA que vazou programa de monitoramento de telefone e internet dos EUA fugiu de Hong Kong para Moscou e tenta asilo político do Equador

A Casa Branca pressionou a Rússia nesta segunda-feira a exercer todas as opções para expulsar Edward Snowden e criticou a China por permitir que o ex-espião dos EUA que divulgou segredos de vigilância do governo deixasse Hong Kong. Snowden, de 30 anos, é acusado pelos EUA de espionagem após revelar informações secretas de seu país.

Kerry: Secretário de Estado dos EUA adverte China e Rússia sobre caso Snowden

Assento 17-A: Delator dos EUA reserva lugar em voo para Cuba, mas não aparece

AP
TV de Hong Kong mostra entrevista com Edward Snowden, ex-técnico acusado de espionagem (23/06)

Chanceler: Equador considera pedido de asilo de delator dos EUA

Espionagem: Ex-técnico da CIA é acusado por vazar programa de monitoramento dos EUA

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, disse que era uma suposição dos EUA de que Snownden ainda estava na Rússia e descartou sugestões de que a decisão de permitir que Snowden saísse de Hong Kong foi técnica.

"Nós simplesmente não estamos comprando que foi uma decisão técnica de uma autoridade de imigração de Hong Kong", disse Carney. "Essa foi uma escolha deliberada do governo para liberar um fugitivo apesar de um mandado de prisão válido, e essa decisão inquestionavelmente teve um impacto negativo na relação EUA-China", completou.

Snowden, que trabalhou para uma prestadora de serviços da Agência de Segurança Nacional (NSA, sigla em inglês) dos EUA no Havaí, escondeu-se em Hong Kong, uma ex-colônia da Inglaterra que voltou para a China em 1997, desde que vazou detalhes sobre os programas de monitoramento de registros telefônicos e de internet aos jornais Washington Post e The Guardian.

Jornal: EUA podem usar dados de programas de inteligência sem mandado

Denúncia: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009

Ele foi autorizado a deixar Hong Kong no domingo para Moscou. Julian Assange, o fundador do grupo antissigilo WikiLeaks, que está ajudando Snowden, disse que ele está a caminho do Equador, onde espera ganhar asilo. Mesmo que esteja na Rússia tentando se dirigir ao Equador, Snowden precisaria passar por outro país, pois não há voo direto de Moscou para Quito.

Rumores de que Snowden embarcaria para Cuba foram questionados quando testemunhas afirmaram não vê-lo no avião, apesar da segurança reforçada antes da decolagem. Uma fonte da companhia russa Aeroflot negou que Snowden tenha viajado para Havana.

O governo russo negou ter ciência dos deslocamentos de Snowden. "No geral, não temos informações sobre ele", disse Dmitry Peskov, porta-voz do presidente Vladimir Putin.

Veja vídeo em que Quito confirma pedido de asilo feito por Snowden:

Ele não quis comentar o pedido de expulsão feito pelos EUA, mas outras autoridades russas disseram que Moscou não tem obrigação nenhuma de cooperar com Washington depois que os EUA aprovaram uma lei que proíbe a concessão de vistos e congela bens de russos acusados de violações dos direitos humanos.

Traidor ou herói: Delator dos EUA abre debate sobre limites da guerra ao terror

"Por que os EUA esperariam moderação e compreensão por parte da Rússia?", indagou Alexei Pushkov, presidente da Comissão de Assuntos Exteriores da Duma (Câmara dos Deputados) russa.

Putin geralmente não perde nenhuma chance de defender figuras públicas que desafiam governos ocidentais, retratando os EUA como uma "polícia mundial" que abusa dos seus poderes. Dessa vez, no entanto, as autoridades russas não fizeram Snowden desfilar diante das câmeras nem alardearam sua chegada.

Apesar das negativas do Kremlin, o senador americano Charles Schumer disse que Putin provavelmente soube e aprovou a viagem de Snowden para a Rússia. "Putin sempre parece quase ávido em enfiar o dedo no olho dos EUA", disse o parlamentar democrata à CNN. Ele também viu "a mão de Pequim" na decisão de Hong Kong de permitir o embarque de Snowden.

Denúncia de Snowden: EUA espionam computadores da China

Buscando se distanciar da polêmica, a chancelaria chinesa manifestou "grave preocupação" com denúncias de Snowden sobre a ação de hackers dos EUA contra a China.

Ajuda do WikiLeaks

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, disse nesta segunda que Snowden está são e salvo depois de viajar a Moscou. "O estado atual do senhor Snowden e de Harrison é que ambos estão bem e seguros e estão em contato com suas equipes legais", disse Assange, referindo-se também a Sarah Harrison, uma representante do WikiLeaks que acompanha Snowden. Ele disse que o WikiLeaks sabe onde estão, mas que não dará mais detalhes.

Um ano na embaixada: Assange teme EUA e diz que ficará em representação do Equador

"Edward Snowden deixou Hong Kong em 23 de junho com destino ao Equador por meio de uma escala segura através da Rússia e de outros países", disse em uma teleconferência desde a Embaixada do Equador em Londres, onde está abrigado para evitar sua prisão e extradição à Suécia.

O fundador do WikiLeaks afirmou que o fugitivo recebeu um documento do governo equatoriano garantindo uma viagem segura desde Hong Kong no fim de semana, embora tais documentos não signifiquem, necessariamente, que o país lhe tenha concedido asilo, disse.

Lindsay Mills: Dançarina de pole dance, namorada de delator dos EUA diz que está 'à deriva'

AP
O airbus Aeroflot A330 que levaria Edward Snowden em um voo de Moscou para Havana, Cuba

O presidente do Equador, Rafael Correa, disse nesta segunda que seu governo vai discutir com "responsabilidade" a solicitação de asilo e tomará uma decisão com "soberania".

Espionagem

De acordo com o South China Morning Post, Snowden disse que aceitou um emprego na Booz Allen Hamilton, onde trabalhou por cerca de três meses, para ter acesso aos detalhes dos programas de monitoramente da NSA.

Booz Allen Hamilton: Vazamento de dados secretos expõe privatização da segurança

Em 12 de junho, ele disse ao South China Morning Post que obteve o emprego de administrador de sistemas por causa do acesso que lhe seria garantido. O artigo do jornal foi publicado nesta segunda. 

"Minha posição na Booz Allen Hamilton me garantiu o acesso a listas de máquinas hackeadas pela NSA em todo o mundo", disse Snowden, de acordo com o artigo. "É por isso que aceitei essa posição há cerca de três meses."

Snowden: Ex-funcionário da CIA diz ter vazado dados sobre vigilância secreta dos EUA

A Booz Allen Hamilton demitiu Snowden em 10 de junho, um dia depois de Snowden vir a público sobre seu papel em revelar detalhes dos programas da NSA em um vídeo publicado pelo Guardian.

*Com Reuters

Leia tudo sobre: snowdenregistros da internetregistros da verizonfisansarússiaequadorprismassangewikileaks

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas