Obama indica ex-autoridade do governo Bush como chefe do FBI

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Se aprovado pelo Senado americano, James Comey sucederá a Robert Muller para um mandato de dez anos

O presidente dos EUA, Barack Obama, nomeou nesta sexta-feira James Comey para ser o próximo diretor do FBI (polícia federal americana), colocando uma autoridade do Departamento de Justiça da era Bush para liderar a agência enquanto lida com debates sobre privacidade em relação a várias táticas de investigação expostas recentemente.

Senadores: EUA mantêm ampla base de dados de ligações telefônicas

AP
O diretor do FBI, Robert Mueller (E), agradece o aplauso do presidente dos EUA, Barack Obama, e de James Comey (C), apontado como seu sucessor

Rastreamento: EUA coletam secretamente dados de nove empresas de internet

Obama elogiou Corney por demonstrar uma firme integridade em face da incerteza. Ao lado dele e do atual diretor do FBI, Robert Mueller, Obama disse que Comey reconhece que, em tempos de crise, os EUA são julgados não apenas por quantas conspirações terroristas são desmanteladas, mas também por seu compromisso com as liberdades civis e pelos ideais expostos na Constituição.

"Jim entende a angústia das vítimas de um crime - o que elas passam", disse Obama. "Ele é uma raridade em Washington às vezes: ele não se importa com política", acrescentou.

Se confirmado pelo Senado, Comey cumpriria um mandato de dez anos e substituiria Mueller, que está no cargo desde a semana anterior aos ataques do 11 de Setembro de 2001. Obama o elogiou efusivamente e disse que poderia declarar sem equívoco que incontáveis americanos estão vivos atualmente por causa dos esforços de Mueller, que deve deixar o cargo em 4 de setembro, depois de supervisionar a transformação do órgão em uma das principais armas do país contra o terrorismo.

A Casa Branca deve esperar que o histórico republicano de Comey e suas fortes credenciais o ajudem a ser confirmado no Senado em um momento em que os indicados de Obama têm enfrentado duras batalhas.

O FBI é responsável pela inteligência e por ações policiais com mais de 36 mil empregados. Recentemente foi questionado sobre investigações em relação a vazamentos de informação à Associated Press e Fox News; sobre os ataques de Boston; sobre o ataque em Benghazi, Líbia, que deixou quatro mortos; e sobre dois vastos programas de monitoramento de registros telefônicos e de comunicações online.

Delator dos EUA: Desilusão com Obama motivou vazamento de documentos

O responsável pelo vazamento dos programas da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês), o ex-técnico da CIA e ex-funcionário de uma prestadora de serviços à NSA Edward Snowden, é alvo de uma investigação criminal que está em andamento. E, apenas nesta semana, Mueller revelou que o FBI usa drones (aviões não tripulados) para ações de monitoramento dentro dos EUA, acrescentando que vale debater as tais implicações de privacidade de tais operações.

*Com AP

Leia tudo sobre: obamafbicomeymuller

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas