Causada por fogo na Indonésia, poluição em Cingapura atinge níveis 'perigosos'

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Fumaça vinda de incêndio na Indonésia alimenta neblina e expõe população a gases tóxicos; premiê pede que moradores permaneçam em casa

O governo de Cingapura pediu que a população permanecesse em casa por causa dos níveis sem precedentes de poluição do ar atingidos nesta quinta-feira (20). Uma espessa névoa de fumaça vinda de incêndios florestais na vizinha Indonésia cobriu Cingapura. Também na Malásia, 200 escolas foram fechadas por causa da fumaça.

Em 2012: Engavetamento em neblina mata 2 e deixa 120 feridos nos EUA

O Índice Padrão de Poluentes, a principal medida de Cingapura para a poluição do ar, foi elevado para uma medida recorde de 371, ultrapassando a classificação de "perigoso", que pode agravar doenças respiratórias. O máximo atingido desde então havia sido em 1997, quando o índice passou a marcar 226.

AP
O sol nasce no Distrito Central de Negócios de Cingapura em meio à forte neblina


Três horas depois o nível baixou para 253, considerado ainda "muito prejudicial à saúde".

A neblina alimentada por fumaça de incêndios da Indonésia já atingiu Cingapura e Malásia muitas vezes, frequentemente nessa época do ano, mas a gravidade atingida nesta semana prejudicou as relações diplomáticas. Autoridades de Cingapura dizem que Jacarta deve fazer mais para impedir incêndios na ilha de Sumatra, provocados principalmente por proprietários de terras e agricultores, que usam as queimadas para liberar o terreno de forma mais barata e rápida.

Em 2010: Cingapura e Jacarta cancelam voos por vulcão na Indonésia

"Essa é agora a pior neblina que Cingapura já enfrentou", escreveu a ministra do Meio Ambiente de Cingapura Vivian Balakrishnan em sua página no Facebook. "Nenhum país ou empresa tem o direito de poluir o ar à custa do bem estar e da saúde dos moradores de Cingapura."

A neblina cobriu os arranha-céus de Cingapura e deixou os moradores em contato com muitos gases nocivos. Alguns se queixavam de tosse e cobriam seus rostos com lenços enquanto caminhavam nas ruas.

Controladores de voos no aeroporto Changi de Cingapura foram instruídos a adotar medidas de precaução por causa da baixa visibilidade, enquanto a rede de fast food Mc Donald's anunciou que suspendera seu serviços de delivery para proteger a saúde de seus funcionários.

Leia mais: China avalia medidas de emergência para controlar poluição em Pequim

Veja também: Poluição leva milhares a hospitais na China e desafia governo

Alguns hospitais fecharam as janelas das enfermarias com pacientes idosos para que o odor de queimado não invadisse o local. Campeonatos de vela e de futebol também foram cancelados neste final de semana.

O premiê Lee HSien Loong alertou os residentes a permanecer em casa o maior tempo posível, acrescentando que eles "superarão juntos (esse problema)".

Leia mais: Poluição é a 'pior já registrada' em Pequim, diz Greenpeace

Em uma coletiva de imprensa, Loong afirmou que era esperado que a cidade continuasse com muita neblina por vários dias por causa dos ventos e das condições meteorológicas. Ele anunciou que um painel do governo foi montado para proteger a saúde pública de Cingapura.

Na vizinha Malásia, a qualidade do ar permanece igual na maior cidade do país, Kuala Lampur, mas em um Estado do sul que faz fronteira com Cingapura também registrou níveis "perigosos" de poluição e 200 escolas ficarão fechadas ao menos até sexta-feira.

O Departamento do Meio Ambiente proibiu a queimada nos terrenos e quem for pego incendiando florestas ilegalmente pode ser condenado a cinco anos de prisão em três Estados separados de Sumatra pelo Estreito de Malaca.

Autoridades da Indonésia defenderam suas políticas, dizendo que o governo está educando os agricultores em relação a alternativas mais sustentáveis em vez da tradicional queimada.

Com AP

Leia tudo sobre: cingapurapoluição do arincêndioindonésia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas