'Homem em pé' lança nova onda de protestos na Turquia

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Artista performático que protestou contra expulsão de manifestantes da Praça Taksim ficando parado em pé e em silêncio e é imitado por dezenas em várias cidades do país

Após semanas de confrontos violentos com a polícia, os manifestantes na Turquia descobriram uma maneira mais potente para fortalecer sua resistência: ficar parado em pé.

A moda foi lançada pelo artista performático Erdem Gunduz, que ficou parado em pé e em silêncio por horas na Praça Taksim, no centro de Istambul, na noite de segunda-feira - um desafio pacífico à violenta repressão do premiê Recep Tayyip Erdogan contra ativistas pacíficos em um parque adjacente a Taksim. A praça foi fechada para os protestos desde que a polícia expulsou os manifestantes de lá, porém pedestres podiam entrar.

AP
Erdem Gunduz e outras dezenas ficam paradas em pé e em silêncio na Praça Taksim, em Istambul, Turquia

A partir do momento que Gunduz ficou parado de pé, outros gradualmente começaram a se juntar a ele - em seguida, esse tipo de protesto passou a ser replicado em outras cidades, em uma onda de imitação possibilitada pelas mídias sociais.

A performance

Aparentemente, Gunduz não fez nenhum anúncio antes de começar a ficar completamente imóvel de pé na praça na noite de segunda-feira. Ele ficou sem se mexer, com as mãos no bolso, olhando uma imagem do pai fundador da Turquia Mustafa Kemal Ataturk, cuja admiração vem do seu sucesso em impor valores seculares em uma nação de maioria muçulmana após o colapso do Império Turco-Otomano há 90 anos.

Quando a polícia chegou, uma hora depois, a mídia estatal turca informou que eles vasculharam seu bolsos e sua mochila, e depois saíram. Gunduz permaneceu na mesma posição. Por horas.

Quando questionado por repórteres sobre o que estava fazendo, a agência de notícias Dogan disse que ele respondeu: "É evidente. As pessoas não estão sendo autorizadas a entrar na Taksim."

Testemunhas começaram a chamá-lo de "duran adam" - "homem em pé". Alguns se juntaram a ele na Taksim, enquanto outros começaram a fazer o mesmo em várias cidades da Turquia. Em Ancara, na capital, uma mulher ficou parada no local onde um manifestante foi morto.

AP
Turcos ficam parados em protesto silencioso no Parque Guven em Ancara, Turquia

O homem em pé

Patrick Adams, um jornalista americano, disse que seu amigo e vizinho é um dançarino originário de Izmir, a terceira maior cidade turca. Gunduz é formado em belas artes, segundo ele, e faz performances de rua há anos.

Adams disse que não sabe se Gunduz é politicamente ativo, mas ele não está surpreso com seu ato silencioso. "Ele é completamente corajoso", disse Adams.

Adams disse que Gunduz enviou uma mensagem para ele na terça-feira para dizer que estava bem e em casa.

O efeito

O ato de Gunduz, ampliado pelas mídias sociais, teve um efeito extremamente rápido nos protestos. O governo pode ter mais dificuldade de lidar com um ato de não violência. O ministro do Interior Muammer Guler disse que as autoridades não iriam intervir contra qualquer protesto que não ameaçasse a ordem pública.

Na quarta-feira, o vice-premiê da Turquia deu um aceno de aprovação ao protesto de resistência pacífica. "Esse não é um ato violento", disse Bulent Arinc. "Não podemos condená-lo."

AP
Carros passam enquanto manifestantes ficam em pé e em silêncio na Praça Taksim, Istambul

Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas