Decisão foi tomada após Washington ter anunciado que manterá diálogos com Taleban para acabar com guerra no país; 'processo de paz deve ser liderado pelos afegãos', diz governo

Menos de um dia depois que o Taleban abriu seu escritório para negociações de paz em Doha, no Catar, o governo do Afeganistão  suspendeu nesta quarta-feira (19) o diálogo com o grupo militante e também descartou reunir-se com os EUA para falar sobre futura cooperação militar após a retirada das tropas estrangeiras em 2014

Em um comunicado, o presidente Hamid Karzai suspendeu as negociações bilaterais com os EUA sobre assuntos de segurança, expressando sua ira sobre a forma com a qual os americanos negociaram a abertura do escritório do Taleban.

Leia mais: EUA e Taleban manterão negociações diretas para acabar com guerra afegã

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, participa de coletiva de imprensa nos arredores de Cabul
AP
O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, participa de coletiva de imprensa nos arredores de Cabul


Transferência: Forças do Afeganistão assumem liderança da segurança em todo país

Leia mais: Otan anuncia cúpula sobre retirada de tropas do Afeganistão em 2014

Em um anúncio separado, emitido horas depois, o governo afegão prorrogou indefinidamente quaisquer encontros com o Taleban no Catar, dizendo que não se encontraria com seus representantes a menos que os insurgentes reduzissem o nível de importância do escritório. 

Quando o Taleban abriu o escritório na noite de terça-feira, os militantes descreveram o local como um gabinete político, e colocaram um cartaz com o nome "Emirado Islâmico do Afeganistão", o mesmo que usavam quando estavam no poder, dando a impressão de que o escritório se trata de um governo no exílio.

"A forma com a qual o escritório do Taleban foi aberto no Catar e as mensagens que foram enviadas estavam em absoluto contraste com todas as garantias que os EUA tinham prometido", disse o gabinete de Karzai em comunicado.

"Os recentes acontecimentos mostrar que há mãos estrangeiras por trás da abertura do escritório no Catar. A menos que o processo de paz seja liderado pelos afegãos, o Alto Conselho de Paz não participará nas negociações do Catar."

Obama afirmou que "fricções" são sempre esperadas quando se trata das negociações de paz com o Afeganistão. "Minha esperança é que, apesar dos desafios, o processo continue", disse, durante visita oficial a Berlim nesta quarta-feira (19).

"Em última análise, vamos precisar ver afegãos conversando com afegãos sobre como eles podem seguir em frente e por fim ao ciclo de violência para que possam começar a realmente construir seu país."

Janeiro: Obama e Karzai aceleram transição militar no Afeganistão

Saiba mais: Entenda por que o Afeganistão é estratégico

O porta-voz de Karzai acrescentou que o presidente discordou com o nome dado ao novo escritório do Taleban inaugurado na terça-feira em Doha. "Nos opomos ao nome: 'Emirado Islâmico do Afeganistão', porque isso não existe", disse Faizi. "Os EUA estavam cientes da posição do presidente."

A suspensão das negociações ocorre um dia depois que a Otan transferiu a responsabilidade pela segurança de todo o país ao governo afegão pela primeira vez desde a queda do Taleban do poder em 2001.

NYT: Preocupações sobre direito das mulheres e tensões étnicas crescem no Afeganistão

Leia também: Invasões e conflitos marcam história do Afeganistão

Autoridades dos EUA afirmaram nesta terça-feira que era esperado que o primeiro encontro formal entre os EUA e os representantes do Taleban ocorresse em Doha na quinta-feira (20).

No passado, o Taleban sempre se recusou em se encontrar com o presidente Karzai ou representantes de seu governo, caracterizando-os como marionetes dos EUA. Karzai expressou irritação em relação aos esforços dos EUA e do Catar em dar início ao processo de paz sem consultar seu governo devidamente.

Mais cedo, também nesta quarta-feira, quatro militares dos EUA morreram em um ataque contra a Base Aérea de Bagram. Um porta-voz do Taleban disse que os militantes lançaram dois foguetes contra a base.

O ataque ocorreu horas depois de os EUA anunciar que daria início a conversas diretas com o Taleban no escritório do grupo militante aberto na capital do Catar, Doha. Uma condição para o diálogo era que o grupo militante renunciasse à violência. Entretanto, o presidente Barack Obama não incluiu um cessar-fogo nas negociações preliminares.

Com NYT, BBC e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.