Obama deixa lei de combate a mudança climática em segundo plano

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Legisladores democratas pediram que a Casa Branca analise as mudanças climáticas em propostas como o oleoduto Keystone XL e terminais de exportação de carvão

Reuters

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu combater a mudança climática em seu segundo mandato, mas até agora não agiu para fortalecer uma ferramenta que não necessita de apoio do Congresso - a Lei Nacional de Política Ambiental.

AP
Lei federal convida funcionários para analisar se os projetos como rodovias, barragens ou perfuração de petróleo pode prejudicar o meio ambiente

NEPA, uma lei que remonta à administração Nixon, convida funcionários para analisar se os projetos como rodovias, barragens ou perfuração de petróleo pode prejudicar o meio ambiente.

Enquanto ele não tem o poder de bloquear o desenvolvimento, o NEPA obriga oficiais a considerar o ambiente antes de aprovar projetos federais, e a Casa Branca propôs que a mudança climática deva ser classificada como preocupação alta.

Leia também: Ambientalistas aplaudem iniciativa de Obama contra mudança climática

"Estamos tomando o tempo necessário para considerar cuidadosamente todas as contribuições do público, as partes interessadas e as agências federais", disse Taryn Tuss, uma porta-voz do Conselho da Casa Branca para a Qualidade Ambiental (CEQ).

Legisladores democratas pediram que a Casa Branca analise as mudanças climáticas em propostas como o oleoduto Keystone XL e terminais de exportação de carvão previstas para o Noroeste do Pacífico.

Grupos e republicanos da indústria, no entanto, alertam Obama para manter o NEPA fora do debate sobre mudanças climáticas.

Leia tudo sobre: MUNDOOBAMACLIMA

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas