Candidato moderado sai na frente em eleição presidencial no Irã

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Com cerca de 23 milhões de votos já apurados, do total de 50 milhões, Hassan Rohani detinha 51%; Ahmadinejad foi impedido de tentar um terceiro mandato consecutivo

Reuters

O candidato moderado Hassan Rohani conquistou uma sólida vantagem sobre seus rivais conservadores na eleição presidencial do Irã, segundo contagem preliminar dos votos neste sábado, sugerindo que ele pode conseguir uma vitória surpreendente.

É improvável que o resultado altere radicalmente as relações entre o Irã e o mundo, ou levar a mudanças na política da República Islâmica sobre seu programa nuclear. As questões de segurança são decididas pelo líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

Leia mais: Irã vai às urnas em eleição presidencial

Rohani: Reformistas apoiam único moderado em eleição no Irã

AP
Primeiras apurações de votos no Irã indicam que o moderado Hassan Rohani (c)pode sair vitorioso das urnas

Mas o presidente tem uma voz importante na tomada de decisões no país muçulmano xiita e poderia trazer uma mudança do estilo de confronto do presidente Mahmoud Ahmadinejad, que foi constitucionalmente impedido de buscar um terceiro mandato consecutivo.

Com cerca de 23 milhões dos votos já apurados, do total de 50 milhões, Rohani detinha 51,07%de todos os votos expressos. Essa vantagem seria o suficiente para evitar um segundo turno em 21 de junho.

A grande vantagem alcançada por Rohani revelou um sentimento pró-reforma, pelo qual muitos aproveitaram para atingir a elite governante, o isolamento internacional e repressões sobre as liberdades pessoais.

Estratégia: Presidente do Irã muda de tática para garantir sobrevivência após eleições

Clérigos: Ex-presidente e aliado de Ahmadinejad são impedidos de disputar eleição no Irã

Se vencer, Rohani, um moderado que é um ex-negociador nuclear conhecido por sua abordagem conciliatória, indicou que iria promover a política externa baseada em "interação construtiva com o mundo" e promulgar uma "carta de direitos civis" em casa.

Em uma aparente tentativa de sinalizar a continuidade da política, Khamenei disse no sábado que, independentemente do resultado da eleição, que seria um voto de confiança para a o país.

"Um voto para qualquer um desses candidatos é um voto para a República Islâmica e um voto de confiança no sistema", disse ele por meio da conta oficial no Twitter.

Leia tudo sobre: irãeleição no irãAli KhameneiAhmadinejadhassan rohani

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas