Reformistas apoiam único moderado em eleição no Irã

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Mohamad Reza Aref, único reformista aprovado pelo Conselho para disputar eleição, desistiu da corrida por ter pouco apelo popular; moderado Hassan Rohani conquista apoio

Reuters

Reformistas iranianos liderados pelo ex-presidente Mohammad Khatami declararam apoio ao único candidato moderado na eleição presidencial de sexta-feira (14), em busca de uma proposta crível para a presidência após oito anos de governo conservador.

Khatami concedeu seu apoio ao clérigo xiita Hassan Rohani nesta terça-feira (11), depois que Mohamad Reza Aref, o único candidato reformista aprovado pelo Conselho Guardião do Irã, mas considerado sem apoio público, retirou-se da disputa na segunda-feira à noite.

Gholan Ali Haddad Adel: Candidato desiste de concorrer à eleição presidencial do Irã

AP
Escoltado por guarda-costas, Mohammad Reza Aref chega a evento de campanha em Teerã, Irã (10/6)

O apoio dos reformistas a Rohani, ex-negociador nuclear do Irã conhecido por sua abordagem centrista e conciliadora, é um claro esforço para atrair os votos dos iranianos que buscam maior liberdade.

Aref citou um pedido de Khatami ao deixar uma disputa dominada por candidatos conservadores linha-dura ligados ao líder religioso supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, que influencia fortemente as decisões do Conselho.

Eleição no Irã: Com eleitorado apático, votação desperta pouco entusiasmo

Barrado de eleição: Rafsanjani chama líderes iranianos de ignorantes

"Com a pesada responsabilidade que eu tenho com o país e com o destino do povo, vou dar meu voto ao meu querido irmão doutor Rohani", disse Khatami em comunicado em seu site.

Seis candidatos continuam na corrida presidencial, a maioria leal a Khamenei e separada apenas por diferenças sobre algumas questões políticas, como o impasse com o Ocidente sobre o programa nuclear iraniano.

As políticas iranianas mais importantes que dizem respeito ao mundo, como o enriquecimento de urânio para combustível nuclear e o apoio ao presidente sírio, Bashar al-Assad, na guerra com os rebeldes que tentam derrubá-lo, são decididas por Khamenei.

Clérigos: Ex-presidente e aliado de Ahmadinejad são impedidos de disputar eleição no Irã

Mashaei: Herdeiro de Ahmadinejad enfrenta oposição dos clérigos

Mas o presidente iraniano exerce influência indireta sobre a política mais ampla, geralmente administra assuntos internos, especialmente a economia do gigante produtor de petróleo, e é o rosto público de mais alto escalão da República Islâmica.

Khamenei não endossou publicamente qualquer candidato e insiste que tem apenas um voto na eleição.

Khatami apoiava inicialmente Akbar Hashemi Rafsanjani, mas a candidatura do ex-presidente pragmático foi rejeitada pelo Conselho, no mês passado. A decisão foi amplamente interpretada como uma medida para evitar que um adversário de Khamenei fosse eleito.

As eleições presidenciais de sexta-feira serão a primeira no Irã desde 2009, quando dois candidatos reformistas chamaram a reeleição de Mahmoud Ahmadinejad de fraudulenta, desencadeando meses de protestos populares que acabaram sendo esmagados pelas forças de segurança.

Os então candidatos Mir Hossein Mousavi e Mehdi Karoubi foram mantidos em prisão domiciliar por mais de dois anos, e os reformistas têm sido amplamente marginalizados do poder, com os conservadores no domínio do Parlamento, da Presidência, e de outros importantes órgãos estatais.

Leia tudo sobre: irãeleição no irãkhatamiarefrafsajanirohanikhameneiclérigos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas