Premiê italiano espera receber apoio moral em eleições locais

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Apesar do baixo comparecimento às urnas, sintoma da perda de confiança dos italianos nos políticos, Enrico Letta espera resultado positivo para Partido Democrático

Reuters

As eleições locais na Itália que terminam nesta segunda-feira (10) podem garantir apoio moral ao primeiro-ministro, Enrico Letta, e confirmar um enfraquecimento do partido populista Movimento 5 Estrelas.

Apesar do comparecimento relativamente baixo, sintoma de perda de confiança nos políticos, Letta espera um resultado positivo para o Partido Democrático (PD, de centro-esquerda).

Letta: Premiê italiano transfere subsecretária que acusou gays de 'formar panelas'

Reuters
Primeiro-ministro italiano Enrico Letta cumprimenta presidente do país Giorgio Napolitano

O partido, que obteve uma apertada vitória na eleição geral de fevereiro, frustrou muitos dos seus apoiadores ao formar uma coalizão com o PDL, do ex-premiê conservador Silvio Berlusconi. Desde então, Letta se empenha em convencer o eleitorado de que o governo é conduzido por ele, e não pelo carismático bilionário Berlusconi.

Análise: Novo primeiro-ministro da Itália precisará ser acrobata político

27 de abril: Primeiro-ministro italiano Letta nomeia novo gabinete

Em Roma, Ignazio Marino, do PD, assumiu uma importante dianteira sobre o atual prefeito, o centro-direitista Gianni Alemanno, no primeiro turno realizado em maio.

O 5 Estrelas, do comediante Beppe Grillo, que havia conseguido quase um quarto dos votos em fevereiro, aproveitando-se de uma onda de insatisfação popular contra os políticos, teve um resultado bem menos expressivo no primeiro turno das eleições municipais.

O movimento tem sido sacudido pela percepção de que seu líder é autoritário. Na semana passada, dois parlamentares abandonaram o grupo, queixando-se do controle de Grillo sobre as decisões.

24 de abril: Presidente da Itália indica Enrico Letta para cargo de premiê

No final do primeiro dia de votação, no domingo, o comparecimento estava em 34%, inferior aos 42% registrados no final do primeiro dia do primeiro turno, quando o comparecimento total ficou em cerca de 62%. Na eleição geral de fevereiro, 75% dos eleitores foram às urnas - o que na Itália é facultativo.

Leia tudo sobre: eleição na itáliaitáliaeleições locaisletta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas