Candidato desiste de concorrer à eleição presidencial do Irã

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Gholan Ali Haddad Adel disse que deixava corrida eleitoral para 'evitar derrota' de seus aliados políticos conservadores

Um candidato retirou sua candidatura da eleição presidencial do Irã nesta segunda-feira (10) sob a justificativa de aumentar as chances de seus colegas conservadores, informou a mídia local do país.

Gholan Ali Haddad Adel disse que estava deixando a corrida eleitoral para "evitar a derrota" de seus aliados políticos. Adel, entretanto, é um dos últimos colocados na maioria das pesquisas eleitorais e sua retirada não deve mudar os rumos das eleições.

Eleição no Irã: Com eleitorado apático, votação desperta pouco entusiasmo

AP
Gholam Ali Haddad Adel, candidato presidencial do Irã, participa de coletiva em Teerã

Barrado de eleição: Rafsanjani chama líderes iranianos de ignorantes

As chances do candidato Hasan Rowhani tiveram um aumento nos últimos dias após as suspeitas de que Mohammad Reza Aref, candidato pró-reforma, retire a candidatura em seu favor, ou que os ex-presidentes Akbar Hashemi Rafsajani e Mohammad Khatami possam publicamente apoiá-lo.

As notícias alarmaram os conservadores. A eleição de 14 de junho escolherá um sucessor para o presidente Mahmoud Ahmadinejad, que não pode mais concorrer às eleições devido ao limite de mandato estabelecido pela constituição iraniana.

Clérigos: Ex-presidente e aliado de Ahmadinejad são impedidos de disputar eleição no Irã

Mashaei: Herdeiro de Ahmadinejad enfrenta oposição dos clérigos

A agência eleitoral iraniana também negou boatos de que considerava desqualificar a candidatura de Rowhani. O porta-voz do Conselho Guardião Abbas Ali Kadkhodaei disse na segunda-feira que não havia planos para rever as qualificações de nenhum dos oito candidatos anteriormente aprovados, informou a agência de notícias estatal.

Ele afirmou, entretanto, que o Conselho, um grupo controlado pelos clérigos, possui o direito legal de rever os candidatos até o dia da votação. Duas agências de notícias iranianas informaram no sábado que o conselho poderia desqualificar Rowhani.

A agência Mehr alegou a suposta divulgação de informações confidenciais sobre o programa nuclear do país por Rowhani como motivos para seu impedimento. Rowhani criticou a polícia nuclear iraniana, afirmando que ela é responsável pela deterioração da economia do país.

Com AP

Leia tudo sobre: irãeleição no irãadelclérigosahmadinejad

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas