Presidente peruano nega indulto a Fujimori

Por Reuters |

compartilhe

Tamanho do texto

Humala rejeita pedido ao concluir que ex-presidente, condenado a 25 anos de prisão por violação aos direitos humanos, não sofre de doença terminal

Reuters

Reuters
Médicos examinam o ex-presidente Alberto Fujimori, diagnosticado com câncer (28/09/2012)

O presidente peruano, Ollanta Humala, decidiu não conceder indulto humanitário ao ex-presidente Alberto Fujimori, condenado a 25 anos de prisão por violação aos direitos humanos, ao concluir que ele não sofre de uma doença terminal, disse nesta sexta-feira o ministro da Justiça, em um caso que divide o país.

2012: Doente, Fujimori vai pedir perdão ao presidente do Peru

O pedido de indulto havia sido feito pelos quatro filhos de Fujimori em outubro, alegando piora em sua saúde e temor de que morresse na prisão.

Fujimori, de 74 anos, está preso em Lima desde setembro de 2007 em uma prisão policial, onde, de acordo com os médicos, foi vítima de depressão e perda de peso, o que poderia ocasionar a recorrência de um câncer na língua.

"O presidente tomou a decisão de escolher a recomendação da Comissão de Graças Presidenciais que não recomenda a concessão de indulto, em consequência o presidente não exerce seu poder de indultar o senhor Alberto Fujimori", disse o ministro da Justiça, Daniel Figallo.

"Esse relatório contém uma série de informações e, nesse sentido, foi considerado que o senhor Alberto Fujimori não tem doença terminal, que era uma das questões que poderiam ter sido relevantes para a tomada de decisão. Também não tem uma doença grave, incurável ou degenerativa", acrescentou.

O cancelamento de uma sentença por abusos aos direitos humanos, que na América Latina foi considerada histórica, teria aberto feridas do conflito interno brutal, que ocorreu nas décadas de 1980 e 1990, o que para muitos peruanos permanecem sem cura.

E também teria acarretado consequências políticas para Humala, que chegou ao poder em 2011 após uma votação apertada contra a filha mais velha do ex-presidente, Keiko Fujimori, que pode ser candidata presidencial nas eleições de 2016.

Em uma pesquisa realizada em maio, 61% dos entrevistados disseram ser a favor do indulto a Fujimori, enquanto 35% afirmaram ser contra.

Leia tudo sobre: peruhumalafujimoriindulto

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas