Homem enfrenta 329 acusações por rapto e estupro de três mulheres em Ohio

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ariel Castro é acusado de raptar Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight e mantê-las em cativeiro por uma década juntamente com filha que teve com uma das vítimas

Ariel Castro, ex-motorista de ônibus escolar acusado de manter em cativeiro três mulheres em sua casa durante uma década, foi indiciado por um grande júri no condado de Cuyahoga sob 329 acusações, incluindo rapto e estupro, disseram promotores. Castro é acusado de raptar Amanda Berry, Gina DeJesus e Michelle Knight e mantê-las em cativeiro juntamente com uma menina de 6 anos que teve com Amanda.

Advogados: Acusado de raptar mulheres em Ohio vai se declarar inocente

AP
Ariel Castro foi indiciado por raptar e estuprar três mulheres em Cleveland, Ohio (foto de arquivo)

Perfil: Saiba quem são as três mulheres resgatadas após dez anos nos EUA

O grande júri impôs contra Castro uma acusação de assassinato agravado, dizendo que ele propositalmente causou o aborto ilegal de uma gravidez. Castro também é alvo por 139 acusações de estupro, 177 de sequestro e várias acusações de relações sexuais forçadas e agressões criminosas.

Os promotores de Castro disseram que ele se declararia inocente. Ele é mantido preso desde 6 de maio sob uma fiança de US$ 8 milhões. Ele foi preso logo após Amanda conseguiu ser solta com a ajuda de vizinhos e, após chamar a polícia, revelou o cativeiro em que estavam Gina e Michelle.

Arlene Castro: Filha de acusado de raptar mulheres em Ohio pede perdão às vítimas

Charles Ramsey: Vizinho que libertou mulheres em Ohio rejeita rótulo de herói

Segundo a polícia, Castro engravidou Michelle, 32, ao menos cinco vezes e a fez abortar deixando-a passar fome e esmurrando sua barriga.

Amanda, agora com 27 anos, disse aos oficiais que foi forçada a dar à luz em uma piscina de plástico na casa, para que fosse mais fácil limpar depois. Amanda também relatou que ela, sua filha de 6 anos e as outras nunca foram a um médico durante o tempo no cativeiro.

Michelle disse que Castro a forçou a fazer o parto de Amanda sob ameaça de morte se o bebê morresse. Michelle contou que, quando a recém-nascida parou de respirar, ela a reviveu por meio de ressuscitação boca a boca.

Todas as três mulheres disseram que Castro as acorrentou no porão, mas eventualmente as liberava para morar no segundo andar da casa. As mulheres foram sequestradas separadamente entre 2002 e 2004, quando tinham 14, 16 e 20 anos. Cada mulher contou uma história similar sobre ter sido capturada após aceitar uma carona de Castro.

*Com AP

Leia tudo sobre: ohioclevelandariel castroamanda berrymichelle knightgina dejesuseua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas