Homem se suicida na Catedral de Notre Dame, Paris

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Cerca de 1,5 mil visitantes tiveram de sair de local após homem disparar contra a cabeça. Suicida seria ativista de extrema direita contrário à legalização do casamento gay na França

Cerca de 1,5 mil visitantes foram retirados nesta terça-feira da Catedral de Notre Dame, em Paris, depois de um homem colocar uma carta no altar do monumento de 850 anos, pegar uma arma e disparar contra si mesmo na cabeça. De acordo com o monsenhor Patrick Jacquin, retor da catedral, esse é o primeiro suicídio em décadas no local.

Dezembro: França celebra os 850 anos da catedral de Notre Dame

AP
Turistas fotografam fachada da Catedral de Notre Dame, em Paris, onde homem cometeu suicídio nesta terça

Som do século 17: Sinos da Catedral de Notre Dame, em Paris, serão substituídos

"É lamentável, é dramático, é chocante", disse Jacquin. Os motivos para o suicídio, e o conteúdo da carta, ainda não foram revelados.

Em uma mensagem em sua conta no Twitter, a política de extrema direita Marine Le Pen identificou a vítima como o autor e historiador de extrema direita Dominique Venner, de 78 anos. Policiais não puderam ser contatados para confirmar a informação.

Em uma mensagem publicada em seu blog com nesta terça, Venner criticava uma lei aprovada pelo governo socialista francês que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Abril: França aprova casamento gay e adoção por casais do mesmo sexo

A polícia ordenou a saída das pessoas da catedral depois do suicídio, disse o ministro do Interior Manuel Valls. "Pedimos compaixão", disse. É muito incomum que a catedral, visitada por cerca de 13 milhões de pessoas do mundo anualmente, seja esvaziada.

A polícia, o promotor de Paris e funcionários eclesiásticos se reuniram dentro da Notre Dame, enquanto turistas intrigados ficaram do lado de fora. Grupos escolares fizeram fila com a esperança de entrar no local na noite desta terça, quando havia expectativa de que reabrisse para um serviço noturno que incluiria uma prece para o suicida e outras almas problemáticas.

A morte desta terça aconteceu menos de uma semana depois de um suicídio incomum no centro de Paris, quando um homem disparou contra si mesmo em frente de mais de dez estudantes em uma escola privada católica.

Jacquin disse que poucos se suicidaram pulando as torres gêmeas da Notre Dame, mas não tinha conhecimento de alguém alguma vez se matando no altar. A Torre Eiffel ocasionalmente fecha por causa de suicídios ou por tentativas.

*Com AP e Reuters

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas