Agência de contraterrorismo afirma ter matado dois militantes e detido outro que planejavam atacar capital. Explosões no Daguestão deixam quatro mortos e mais de dez feridos

A agência de contraterrorismo da Rússia afirmou nesta segunda-feira ter matado dois militantes e detido em uma casa a leste da capital russa. Segundo as autoridades, os três planejavam um ataque terrorista em Moscou.

Polícia e investigadores trabalham em área de explosões em Makhachkala, Daguestão
Reuters
Polícia e investigadores trabalham em área de explosões em Makhachkala, Daguestão

A Comissão Nacional Antiterrorismo disse em uma declaração que um membro de suas forças especiais ficou levemente ferido na operação no subúrbio moscovita de Orekhovo-Zuevo. Segundo a comissão, os militantes são cidadãos russos que receberam treinamento na região de fronteira do Afeganistão e Paquistão.

"Durante uma operação especial, os banditos foram encontrados mas, quando ordenados a se render, abriram fogo", disse o comunicado da comissão. "Graças às ações decisivas os agentes policiais, uma tentativa de lançar um ataque terrorista na capital foi frustrada."

Não ficou claro quando a operação foi lançado e nenhuma informação adicional sobre o caso foi divulgada imediatamente.

Vídeo: Câmera de segurança mostra momento da explosão em Moscou

As forças especiais russas regularmente anunciam que frustraram ataques terroristas, mais frequentemente na região do Cáucauso do sul da Rússia. O último grande ataque em Moscou foi uma ação suicida no aeroporto internacional de Domodedovo em janeiro de 2011, que deixou 37 mortos.

Ataque no Daguestão

Em um incidente separado, duas explosões atingiram nesta segunda a Província do Daguestão, área russa assolada pela insurgência islâmica, deixando ao menos quatro mortos e mais de dez feridos.

As explosões aconteceram em uma rápida sucessão diante da sede do serviço de oficiais de Justiça em Makhachkala, a capital regional. A primeira explosão foi causada por um carro-bomba, enquanto a segunda aconteceu quando os policiais correram para o local. De acordo com investigadores, as bombas foram detonadas por controle remoto.

Entenda: Cáucaso russo é terreno fértil para o terrorismo

Carros-bombas, atentados suicidas e ataques a tiros são rotineiros no Daguestão, região de maioria islâmica que é o epicentro da insurgência islâmica que tem suas raízes em duas guerras separatistas na vizinha Chechênia, depois do fim da União Soviética, que deixaram dezenas de milhares de mortos.

*Com AP e Reuters

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.