Kerry defende fortalecimento da parceria entre Brasil e EUA

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Secretário de Estado americano se reuniu com chanceler brasileiro para discutir primeira visita de chefe de Estado que Dilma fará a Washington em outubro

Agência Brasil

O secretário de Estado americano, John Kerry, destacou nesta segunda-feira (20) a importância do Brasil no cenário internacional durante conversa com o ministro das Relações Exteriores do País, Antonio Patriota, em Washington. Kerry e Patriota trataram, entre outros temas, da primeira visita de Estado da presidente Dilma Rousseff ao país, provavelmente em outubro. Os EUA reservam esse tipo de visita apenas aos parceiros estratégicos.

Visita: Vice-presidente dos Estados Unidos virá ao Brasil no final do mês

AP
Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, cumprimenta o chanceler brasileiro, Antonio Patriota, no Departamento de Estado, em Washington

Ao iG em 2011: ‘Pragmatismo de Dilma é essencial para EUA', diz embaixador dos EUA

Antes da visita de Dilma aos EUA, virá ao Brasil até o final deste mês o vice-presidente americano, Joe Biden. “Queremos fortalecer o Diálogo de Parceria Global (um projeto comum dos dois países que inclui ações em várias áreas)”, disse Kerry. O Diálogo de Parceria Global é formado por mais de 30 mecanismos de consulta e cooperação que cobrem praticamente todos os temas das agendas bilateral, regional, internacional e global.

No texto distribuído pelo Departamento de Estado americano, Kerry demonstra simpatia pelo Brasil e lamenta não falar português como sua mulher Tereza Heinz, que é moçambicana. “(Infelizmente) minha mulher não está aqui para falar português”, disse. “Nossa relação com o Brasil é extremamente importante, que é um país que vem aumentando seu destaque. Estamos ansiosos pela visita da presidenta Dilma Rousseff em outubro.”

O secretário de Estado ressaltou a importância do Brasil na reconstrução do Haiti, que em 2010 sofreu os impactos do pior terremoto de sua história recente, e na busca por uma solução negociada na Síria, que vive em conflito há mais de dois anos. “Conheço o Brasil, que é um país de que gosto muito. É um país fascinante, com uma cultura muito diversificada e enorme energia econômica, assim como energia de vida”, disse.

Kerry disse ser fã do futebol brasileiro. “A Copa do Mundo fascina a todos nós. Vou encontrar uma maneira de estar lá durante esse período (da Copa de 2014)”, brincou. Patriota retribuiu, lembrando que ele e Kerry mantêm conversas constantes por telefone.

“Estamos muito interessados em ouvir sobre as últimas iniciativas do secretário Kerry em relação (ao conflito) Israel-Palestina e à Síria. Queremos contribuir para uma solução pacífica e diplomática para todas essas questões”, destacou Patriota.

Saiba mais: Relembre a viagem de Obama ao Brasil em 2011

Antes da viagem aos EUA, a presidente Dilma Rousseff deve participar, em Nova York, em setembro, da Assembleia Geral das Nações Unidas. Mas o caráter da visita não será de chefe de Estado. O convite à presidente, segundo assessores brasileiros, foi feito pelo presidente americano, Barack Obama.

Leia tudo sobre: obamadilma rousseffbidenpatriotaamérica latina

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas