Coreia do Norte lança sexto míssil de curto alcance em três dias

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Pyongyang condena Seul por criticar os disparos, que, segundo regime, se tratam de exercícios militares legítimos

A Coreia do Norte disparou dois mísseis de curto alcance nesta segunda-feira (20), completando seis lançamentos em três dias, e condenou a Coreia do Sul por criticar os disparos, que, segundo o governo norte-coreano, são exercícios militares legítimos.

Sábado: Coreia do Norte lança três mísseis de curto alcance, diz Coreia do Sul

Domingo: Coreia do Norte dispara outro míssil de curto alcance, diz agência

AP
Maquete de míssil Scud-B da Coreia do Norte e outros mísseis sul-coreanos são expostos no Museu da Guerra da Coreia em Seul

Kaesong: Últimos sul-coreanos deixam parque industrial conjunto com Coreia do Norte

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul disse que a Coreia do Norte disparou um míssil nesta segunda-feira de manhã e um segundo à tarde. Ambos foram lançados no mar na costa leste da Coreia do Norte, disse um funcionário do ministério.

Os lançamentos acontecem após mais de dois meses de ameaças da Coreia do Norte sobre uma guerra nuclear contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos se fosse atacada.

23 de abril: ONU detecta possível radiação de terceiro teste nuclear da Coreia do Norte

O Norte condenou os exercícios militares sul-coreanos realizados em parceria com os EUA, que terminaram no final de abril. A Coreia do Norte disse que se tratavam de um ensaio para um ataque contra seu território.

"Estamos realizando exercícios militares intensos para reforçar a nossa capacidade de defesa", disse o Comitê para a Reunificação Pacífica da Coreia, órgão que lida com questões inter-coreanas, segundo a agência de notícias da Coreia do Norte KCNA, nesta segunda.

NYT: Jovem líder da Coreia do Norte compromete laços com a China

Em Seul: Secretário de Estado dos EUA alerta Coreia do Norte: 'Não teste míssil'

A tensão na península coreana segue desde o mês passado, após um agravamento da crise que teve início com a decisão da ONU de impor sanções contra Pyongyang em razão do terceiro teste nuclear realizado pelo país no mês de fevereiro.

A Coreia do Norte emitiu pelas semanas seguintes alertas diários de "estado de guerra" contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos. Desde então, a Coreia do Norte tem realizado lançamentos regulares de mísseis Scud de curto alcance, que podem alcançar alvos na Coreia do Sul.

Em dezembro o clima na região se agravou após lançamento, pela Coreia do Norte, de um foguete. Os Estados Unidos e os países aliados denunciaram que o lançamento seria o teste de uma tecnologia que poderia ser usada para ataques nucleares.

Leia também: Coreia do Norte condiciona diálogo a fim de sanções

Nas turbulentas semanas seguintes, a Coreia do Sul anunciou que o Norte havia implantado lançadores de mísseis em postos da costa leste, de onde seria possível que um míssil Musudan de médio-alcance fosse lançado – equipamento que pode atingir até 3,5 mil km, faixa que inclui o Japão, os EUA e a ilha de Guam, no sul do Pacífico.

Com Reuters

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas