Política no Paquistão é morta na véspera de eleição em Karachi

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Zahra Hussain foi uma das políticas que apontou casos de fraude eleitoral no distrito, causando a repetição da votação neste domingo

A política paquistanesa Zahra Shahid Hussain, que apontou casos de fraude eleitoral em Karachi, foi morta no sábado (18) na véspera de uma contestada repetição da votação em seu distrito, informou a polícia.

Leia mais: Nawaz Sharif deve formar governo forte após eleições no Paquistão

AP
Zahra Shahid Hussain (centro) era integrante do alto escalão do partido Tehreek-e-Insaf, no Paquistão

Saiba também: Violência marca eleição no Paquistão e comissão admite fraude

Violência: Explosão em comício de partido islâmico mata 14 no Paquistão

Segundo autoridades ouvidas pela TV CNN, Zahra foi executada. A morte ocorre um dia antes dos eleitores participarem da segunda votação esse mês para escolher os ocupantes dos assentos em uma assembleia nacional e duas procinciais em Karachi, depois de acusações de fraudes eleitorais na primeira eleição.

Zahra era do partido Tehreek-e-Insaf, ou PTI, o grupo político chefiado pelo ex-jogador de críquete Imran Khan. "Estou totalmente chocado e profundamente entristecido e ainda não consigo acreditar que alguém possa ter matado uma senhora tão gentil", disse Khan em comunicado. Zahra era advogada pela edução, direito das mulheres e políticas de bem-estar.

Paquistão: Promotor no caso da morte de Benazir Bhutto é assassinado

Por traição: Polícia do Paquistão prende ex-presidente Musharraf

Khan, Zahra e o partido fizeram diversas declarações após as eleições nacionais este mês, alegando fraude eleitoral em Karachi e em outros distritos. Khan acuso o líder do partido rival de responsabilidade pelo assassinato. "Altaf Hussain é diretamente responsável pelo assassinado uma vez que ele ameaçou abertamente os trabalhadores do PTI e líderes através de transmissões públicas", disse Khan em sua página no Twitter.

O MQM, partido mais forte em Karachi, é frequentemente acusado de usar violência contra seus rivais. O partido boicotou a nova votação que ocorreu neste domingo.

Histórico: Governo do Paquistão é o primeiro na história do País a completar mandato

A taxa de comparecimento nesta nova votação pareceu pequena comparada às multidões que compareceram às urnas em 11 de maio. A votação ocorreu em 43 colégios eleitorais sob a proteção da polícia e de soldados do Exército.

O grande vencedor da eleição nacional de 11 de maio foi a Liga Muçulmana do Paquistão, liderada pelo ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, que se prepara para formar o próximo governo.

Com AP

Leia tudo sobre: paquistãoeleição no paquistãoviolênciamorte

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas