Segundo gabinete, presidente François Hollande promulgou medida na manhã deste sábado; debate provocou protestos nacionais

O presidente da França, François Hollande, promulgou a lei que autoriza o casamento gay e a adoção por casais do mesmo sexo, depois de meses de protestos nacionais contrários e favoráveis à proposta.

Congresso: França aprova casamento gay e adoção por casais do mesmo sexo

Mulheres posam para foto durante passeata pró-casamento gay na França (27/1)
AP
Mulheres posam para foto durante passeata pró-casamento gay na França (27/1)

Março: Protesto contra o casamento gay na França termina em confronto com polícia

Sua assinatura significa que os primeiros casamentos gays poderão ser celebrados dentro de um prazo de cerca de 10 dias. O gabinete de Hollande afirmou que o presidente assinou a medida na manhã deste sábado (18), um dia depois que o Conselho Constitucional ter derrubado uma apelação à lei.

Hollande, um socialista, fez do casamento gay uma de suas principais bandeiras na campanha para sua eleição no ano passado. Enquanto as pesquisas por anos mostraram um apoio majoritário ao casamento homossexual na França, a adoção por casais do mesmo sexo foi alvo de controvérsias.

Cenário: Ataques homofóbicos expõem divisão sobre casamento gay na França

A medida provocou meses de protestos, a maior parte deles realizadas por conservadores e grupos religiosos. Alguns deles terminaram com violência e confrontos com a polícia .

Nas semanas seguintes, violentos ataques contra casais gays aumentaram, e alguns legisladores receberam ameaças - incluindo o presidente da Assembleia Nacional francesa, Claude Bartelone Bartelone, que recebeu um envelope cheio de pólvora.

A Assembleia Nacional do país havia aprovado o projeto em 23 de abril por 331 votos contra 225. A França é o 14º país do mundo a legalizar o casamento gay.

Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.